Zona Azul Fortaleza ganhará mais 1.000 vagas em 2019

Como parte do projeto de modernização do estacionamento rotativo adotado na Capital, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) pretende chegar a 6.500 vagas na cidade até o fim do ano

Os estacionamentos rotativos da Zona Azul de Fortaleza passaram a ter vagas vendidas exclusivamente por meio de aplicativos, desde ontem. A remodelagem do serviço também vem contando com a expansão de vagas, que cresceu de 3.000 para 5.500, entre agosto e dezembro do ano passado.

Para 2019, a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) projeta a criação de mil novos espaços em áreas do Bairro de Fátima, Parquelândia e Lago Jacarey. Atualmente, a maioria das vagas se concentra nos bairros Centro, Aldeota, Meireles, Dionísio Torres e Montese.

"A Zona Azul só se justifica onde a rotatividade se explica, e em áreas que têm uso do solo adensado. Nosso radar também recebe a solicitação de comerciantes e da população para expandir", explica o superintendente da AMC, Arcelino Lima.

Ao fim do processo, deve haver 24 regiões da cidade com Zona Azul. Em cada uma das áreas, pelo menos 1% das vagas é obrigatoriamente ofertada em Pontos de Vendas credenciados (PDVs), alternativa para aqueles cuja bateria ou plano de dados acabaram ou para os menos familiarizados com a tecnologia. O resto, só através de conexão com a internet e cadastro em um dos sete aplicativos disponíveis.

Procura

O novo sistema de aquisição foi lançado em agosto de 2018 e, em quatro meses, já conta com mais de 70 mil usuários e 360.744 Cartões Azul Digital (CADs) vendidos. Cada um deles custa R$ 2 e permite permanência de uma hora, duas horas (prorrogáveis) e cinco horas (não prorrogável), dependendo do local da vaga. É possível comprar o CAD individual ou em quantidades maiores para uso posterior.

Segundo a AMC, a opção eletrônica possibilita um acesso seguro, evita fraudes e a cobrança de preços exorbitantes. Na avaliação de Arcelino Lima, houve retorno positivo por parte dos usuários que antes tinham maior dificuldade em estacionar. "Hoje, eles estão conseguindo encontrar vagas livres pela função da rotatividade, que está sendo obedecida. Com maior facilidade de aquisição do crédito, eles também se sentem mais estimulados", afirma.

Alerta

Outra facilidade: não é necessário imprimir o comprovante ou colocá-lo no painel do veículo. A tecnologia permite ainda que um alerta avise ao usuário quando o período de uso permitido estiver se esgotando. Dessa forma, o CAD poderá ser renovado à distância. Quanto à fiscalização, os agentes de trânsito dispõem de um sistema que informa se o dono do carro pagou pela hora de estacionamento na vaga ocupada.

Agora, uma lei municipal determina que os recursos arrecadados pela Zona Azul Digital sejam revertidos para intervenções cicloviárias, permitindo a ampliação do uso do Bicicletar, ciclofaixas e ciclovias. Conforme o superintendente da AMC, já foram lançados dois editais para incrementar a Ciclofaixa de Lazer, das rotas Oeste e Sul, com novos cones. Outro prevê a instalação de balizadores em algumas ciclofaixas da cidade.

Esses equipamentos viários funcionam como divisores e auxiliam na sinalização do espaço. "Se um veículo chegar a colidir, ele não será avariado. Ele também possibilita melhor isolamento da ciclofaixa e garante maior segurança ao ciclista", garante Arcelino.

Algumas vias já foram previamente selecionadas para receber os balizadores. É o caso da Avenida Perimetral, cujo trânsito de veículos pesados é intenso e onde os aparelhos já foram testados em caráter experimental.

Os recursos também devem ser investidos na expansão do sistema de bicicletas compartilhadas, hoje com 80 estações, principalmente em regiões residenciais e distantes, que não têm tanto incentivo de patrocinadores. "Até fevereiro, teremos o novo edital de mais 120 estações do Bicicletar. Colocaremos em áreas como Bom Jardim, Conjunto Ceará e Vila Velha, onde há grande potencial de uso da bicicleta", diz Lima.

O mapa de vias da Capital hoje conta com 247 quilômetros de vias exclusivas para ciclistas e a meta da gestão municipal é atingir 320 quilômetros até 2020. Para isso, a previsão é que mais 80 quilômetros sejam instalados ao longo de 2019, e outros 80 quilômetros em 2020.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados