Turmas do 3º ao 8º ano voltam às aulas presenciais no próximo dia 3

O retorno foi autorizado pelo governador Camilo Santana no último domingo (25), mas o Sinepe informou ontem que as unidades particulares voltam na terça-feira (3), após a testagem de cerca de 1.500 profissionais da Educação

Legenda: Medidas de segurança para alunos e funcionários devem fazer parte da rotina das instituições
Foto: CAMILA LIMA

O retorno às aulas presenciais de estudantes do 3º ao 8º ano do Ensino Fundamental da rede privada está marcado para o próximo dia 3 de novembro. A informação foi repassada ontem pela presidente do Sindicato de Educação da Livre Iniciativa do Ceará (Sinepe), Andréa Nogueira. Ainda não há, porém, uma estimativa de quantos alunos deverão voltar ao ambiente escolar físico, mas várias unidades alegam que já estão prontas para recebê-los.

As novas turmas do EF que migrarão do remoto para o cronograma in loco, sete meses após o início da pandemia, tiveram autorização para receber 35% da capacidade de alunos no último domingo (25) via decreto estadual nº 33.783. Segundo o documento, a determinação vale para a Capital e outros 43 municípios que compõem a Região de Saúde de Fortaleza, como Eusébio, São Luís do Curu e Itapipoca.

 

erca de 1.500 a 3.000 profissionais de escolas particulares começam a fazer os testes para Covid-19 hoje, procedimento que vai até sexta-feira (30), aponta a presidente da entidade. Os colaboradores com diagnóstico negativo têm liberação para retornar à unidade de ensino. "A escola da rede privada vem fazendo um trabalho preventivo, com cuidado de suspender temporariamente algumas turmas até o resultado final do exame, de fechar turmas temporariamente, se necessário for", afirma Andréa Nogueira.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) informou que foi notificada de 23 escolas com casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus SARS-CoV-2 e não fechou nenhuma unidade. A Pasta lembra que a Vigilância em Saúde do município deve ser acionada caso sejam identificados novos infectados na escola.

Cronograma

Apesar disso, o diretor do Colégio 7 de Setembro, Henrique Soares, pontua que a unidade "está pronta desde o dia 20 de julho", se referindo à primeira data indicada pela Prefeitura de Fortaleza para retorno das aulas presenciais. Na prática, contudo, a retomada ocorreu apenas no dia 1º de setembro com o ensino infantil, e um mês depois com 1º, 2º e 9º ano do EF, e 3º do EM.

Com a nova liberação, Henrique Soares calcula que 80% dos alunos da unidade possam estar presencialmente na próxima semana com ajustes de horários. "Para cumprir os 35%, cada aluno só vem dois dias por semana", pontua o diretor, complementando que as outras aulas continuarão sendo virtuais.

O Colégio Ari de Sá também adotará o modelo de ensino híbrido, conforme explica a diretora de ensino da rede de escolas Regina Gadelha. "Para atender o percentual de 35%, nós vamos fazer escalas semanais de alunos. Eles serão organizados por grupo e virão nos dias determinados. As famílias que optarem por permanecer em casa têm a oportunidade de assistir a aula pela transmissão simultânea".

Opção

Mesmo com a volta da carga horária presencial, o contador Carlos André Sampaio já optou por seguir no ensino a distância com as duas filhas, de 10 e 13 anos de idade. A proximidade do fim do ano letivo somada à possibilidade de uma "segunda onda da Covid-19" o fez tomar essa decisão.

"Eu pretendo que seja online mesmo até porque já está terminando o ano e elas já estão mais adaptadas com essa rotina. O intuito é deixá-las em casa. E estão falando de uma nova onda, um aumento de casos e eu acho bem mais tranquilo ficar em casa, muito melhor", avalia.

Já para a assessora técnica jurídica, Virgínia Martins, a filha de 8 anos, aluna do 3º ano do EF deverá retornar após os "meses difíceis e desafiadores", relata. "Eu confio muito nas estratégias que o colégio está tomando, estão sendo bem prudentes. Estamos esperando ainda a manifestação deles a respeito desse novo decreto, mas acredito que vão manter a higiene e os cuidados".

Se na rede privada, o processo de retomada está encaminhado, na pública, ainda não há definição. Em nota, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) disse que "está em conversa com os diversos atores que representam a rede de escolas públicas estaduais para decidir a melhor data para o retorno presencial".

De acordo com a Pasta, poderão voltar unidades que "apresentam infraestrutura adequada, possuam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para alunos e funcionários, estejam aptas quanto ao cumprimento das normas de segurança sanitária estabelecidas e que todos os profissionais tenham feito o exame para Covid-19".

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza