Trânsito no trecho em obras da Linha Leste na Praça da Estação em Fortaleza é tranquilo

A previsão é que o trecho seja liberado para o tráfego em quatro meses

Legenda: Quem trafega pela rua Castro e Silva, no sentido Centro-Aldeota, deve entrar à direita na rua 24 de maio, à esquerda na rua São Paulo e à esquerda na rua General Sampaio, retornando à Castro e Silva
Foto: Marina Alves

Motoristas não enfrentam dificuldades em trafegar pela Rua Castro e Silva, próximo à Praça da Estação, no Centro de Fortaleza. Início da manhã desta segunda-feira (12), o fluxo de veículos é considerado normal e não há congestionamentos. O local foi interditado no domingo (11) para a construção de um poço de ventilação da Linha Leste do Metrô de Fortaleza.

Alguns condutores desavisados tentam seguir na Rua Castro e Silva, porém retornaram e seguiram viagem por outras vias.

Trecho interditado

Para isso, o trecho da rua Castro e Silva, entre as ruas 24 de maio e General Sampaio, será interditado. Quem trafega pela rua Castro e Silva, no sentido Centro-Aldeota, deve entrar à direita na rua 24 de maio, à esquerda na rua São Paulo e à esquerda na rua General Sampaio, retornando à Castro e Silva.

A previsão é que o trecho seja liberado para o tráfego em quatro meses. Depois desse período, os serviços continuam sem a necessidade de interdição viária. Os trabalhos serão concentrados apenas em uma parte da praça, que será fechada até a finalização do poço de ventilação. 

Linhas de ônibus reordenados

Com as obras na Praça da Estação, a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) irá reordenar os pontos de embarque e desembarque de dez (10) linhas entre as plataformas e desviar o itinerário de 19 linhas que seguiam pela Rua Castro e Silva.
 
O novo itinerário das linhas que trafegam pela Rua Castro e Silva será pela Rua 24 de Maio, Rua São Paulo, Rua Gal. Sampaio, retornando para a Rua Castro e Silva. O usuário deve estar atento para o local de embarque e desembarque, pois dez linhas que tinham ponto final junto à plataforma Sul, próximo à Rua Castro Silva, serão redistribuídas na praça. As linhas metropolitanas devem realizar o embarque e desembarque na Av. Tristão Gonçalves.

Na Praça da Estação circulam 29 linhas urbanas, atendendo a 100 mil passageiros, com fluxo de 156 ônibus/hora, realizando 1.741 viagens/dia.

Segue a relação das linhas afetadas pela obra:

  • 012 – Circular II
  • 032- Borges de Melo II
  • 035 – Corujão Paranjana II
  • 042 – Antônio Bezerra/Fco Sá/Papicu
  • 071 – Antonio Bezerra/Mucuripe
  • 086 – Bezerra de Menezes/Santos Dumont 
  • 106- Floresta/Centro
  • 142 - Antônio Bezerra/Fco Sá/Papicu
  • 186 - Bezerra de Menezes/Santos Dumont 
  • 232 – Av. Borges de Melo II
  • 286 – Expresso/Antonio Bezerra/Santos Dumont
  • 833 – Cidade 2000/Centro
  • 901 – Dom Luiz
  • 903 – Varjota
  • 905 – Meireles/Centro
  • 906 – Caça e Pesca/Serviluz/Centro
  • 907 – Castelo Encantado/Centro
  • 909 – Praia do Futuro/Caça e Pesca/Beira Mar


Mais informações da Linha Leste

A Linha Leste terá 7,3 quilômetros de extensão e irá ligar o Centro ao Papicu. No percurso, contará com uma estação de superfície (Tirol) e outras quatro subterrâneas (Chico da Silva, Colégio Militar, Nunes Valente e Papicu). O empreendimento vai garantir a integração da Linha Leste com a Linha Sul, no Centro, e com o VLT Parangaba-Mucuripe e o terminal de ônibus, no Papicu. Após concluído, terá capacidade para transportar até 150 mil passageiros por dia. O tempo de viagem entre o Centro e o Papicu será de 15 minutos.



Redação 02 de Julho de 2020