Transferidos de setor após infiltrações, pacientes voltam a denunciar estrutura do Hospital São José

Teto sem acabamento, pisos e paredes com azulejos soltos e péssimas condições de equipamentos estão entre as principais reclamações dos enfermos.

Escrito por Redação,

Metro
Legenda: Pacientes se queixa da estrutura física da unidade

Os pacientes do bloco F do Hospital São José de Doenças Infecciosas, na Parquelândia, em Fortaleza, remanejados de setor no último dia 3 para reforma após infiltrações causadas pela chuva, apontaram um outro problema: a ala D, onde foram realocados, também passa por problemas de infraestrutura. A unidade é referência no Estado para tratar doenças infecciosas e tem prazo de 30 dias para entregar a reforma.   

Teto sem acabamento, pisos e paredes com azulejos soltos e péssimas condições de equipamentos estão entre as principais reclamações dos enfermos, segundo o coordenador da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV, no Ceará, Vando Oliveira. Conforme ele, os pacientes estão preocupados e a todo momento mandam informações e fotos da estrutura do local. 

“A ala D, para onde os pacientes foram após o início das obras, ainda é um risco para os enfermos. São pacientes que esperam exames complicados, por exemplo, e não têm condições de serem tratados em casa”, considera, relatando que, como responsável de uma ONG pela causa, já foi impedido de entrar no hospital. 

Legenda: Teto sem acabamento, pisos e paredes com azulejos soltos estão entre as principais reclamações dos pacientes internados na ala D.
Foto: Foto: Arquivo pessoal/ Vando Oliveira

O paciente Paulo Henrique, acompanhado no HSJ há 20 anos, afirma que ele e os colegas de ala se sentem apreensivos com a situação do local. “E se der outra chuva? A ala daqui também não dá conta”. Outro problema colocado por Vando e Paulo Henrique é a hipótese de uma outra infecção aos pacientes, já que “ninguém sabe o que funcionava nessa ala D antes”.  

Por nota, o Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ) informou que a reforma da unidade F de internação, iniciada no dia 3, será concluída em 30 dias e foi necessária devido às fortes chuvas registradas em Fortaleza nos últimos dias, o que ocasionou algumas infiltrações.

“A reforma vai melhorar o espaço e impermeabilizar o teto da unidade. Até lá, os pacientes do bloco F foram transferidos para outros leitos, dentro do HSJ, adequados a necessidade de cada um deles, incluindo no bloco D. Ressaltamos ainda que as transferências não representam riscos para os pacientes e que as melhorias nas dependências do HSJ é um processo contínuo. Prestar assistência qualificada e humanizada é compromisso do Hospital São José”, diz a nota.