Terminal de Messejana recebe cabine do Movimento Doe de Coração

Um "selfie point", uma cabine onde as pessoas gravam vídeos de apoio à doação de órgãos e tecidos, foi instalado no local

Legenda: "Eu pretendo ser doador. Se acontecer um acidente comigo e eu morrer é melhor doar. Se tiver uma pessoa que precisa e ela ainda estar viva é melhor dar o órgão para ela", afirma o jovem de 18 anos, Lucas Januário
Foto: José Leomar

Dezenas de pessoas deram uma pausa na rotina, nesta quarta-feira (4), para participar do movimento Doe de Coração no terminal da Messejana. No local, foi instalado um "selfie point", uma cabine onde as pessoas gravam vídeos de apoio à doação de órgãos e tecidos. A ação faz parte da campanha do mês temático do Sistema Verdes Mares em prol do incetivo à doação de órgãos. 

Quem esteve no local foi a a estudante de enfermagem Rayza Vintura. Há dois anos, ela perdeu o irmão: o jovem de 21 anos sofreu uma tentativa de latrocínio quando estava a caminho da faculdade. O garoto levou um tiro e não resistiu aos ferimentos, teve morte cefálica, mas a família resolveu doar os órgãos dele. "Ele sempre foi uma pessoa que gostou de ajudar as pessoas. Então resolvemos doar os órgãos dele, ajudar alguém", conta a jovem. Rayza Vintura também participou da ação Doe de Coração, para ela, a doação "é uma forma de achar vida mesmo na morte".

Órgãos como as córneas, os rins e o coração do irmão dela foram doados para outras pessoas. A estudante ainda não conhece ninguém que tenha sido beneficiado pela doação. "Eu gostaria de conhecer essa pessoa que está vivendo com uma parte dele, eu acho que é como se ele vivesse ainda, dentro de alguém", completa.

"Tenho várias coisas para fazer, mas para uma boa causa, vale a pena dar aquela parada", disse Graça de Fátima, 58, uma dos participantes. Ela disse que já avisou aos parentes que será uma doadora de órgãos. "Porque eles não vão servir para mais nada para mim quando eu passar para o outro plano. Então, deixa para outra pessoa. O que estiver servindo, pode doar", afirma Graça de Fátima. 

Legenda: Na cabine de "selfie point" instalada no terminal da Messejana, as pessoas gravaram vídeos de apoio de apoio à doação de órgãos e tecidos
Foto: José Leomar

A dona Raimunda Estevõ, 43, também resolveu participar da campanha. Ela exalta a importância de compartilhar a causa com amigos e familiares. "Eu acho importante uma ação como essa. Eu vou ser doadora e espero que tenha muita gente. Tem tantas coisas que podem salvar uma vida, um coração, um rim", afirma.  Você vai ajudar outra família. Vamos abrir mais o coração, pensar mais no outro. Eu vou fazer minha parte", ressalta.

Doe de Coração
No próximo dia 11, o equipamento do "Selfie point" vai para para o Terminal do Papicu. Já no dia 13, ele será encaminhado para a Beira-Mar. A atividade chega ao Terminal da Parangaba no dia 16, passando pela Praça da Imprensa Chanceler Edson Queiroz no mesmo dia.

A ação será conduzida durante uma caminhada no Parque do Cocó no dia 21. O último local a abrigar o equipamento será a Praça do Ferreira, no dia 27. Os vídeos gravados serão utilizados ao longo da campanha nas redes sociais e veículos de comunicação.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza


Redação 20 de Outubro de 2020