Saiba como ser voluntário para pesquisa que testa a hidroxicloroquina como tratamento profilático

Apenas profissionais da saúde podem participar do estudo. Candidatos que já tiveram contato com o coronavírus não poderão ser voluntários

Imagem mostra medicamento
Legenda: Produção do medicamento hidroxicloroquina
Foto: AFP

Profissionais da saúde podem ser voluntários em pesquisa que deve analisar o uso de hidroxicloroquina associada ao zinco como tratamento preventivo para o coronavírus. Pesquisadores do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM) da Universidade Federal do Ceará (UFC) buscam 400 trabalhadores da saúde que estejam em contato direto com pacientes com Covid-19. Eles devem tomar o remédio por oito semanas e passar por uma série de exames.

O profissional que tiver interesse em participar pode ligar para os números 3366 8346, 99997 37618, 99627 5800, 98829 3756, 98186 4258, e agendar sua visita no NPDM. Serão feitos eletrocardiogramas, exames para detecção do coronavírus, exames hematológicos e bioquímicos. Aqueles candidatos que testarem positivo para o vírus, que tenham eletrocardiograma com QTc igual ou superior a 450 ms, estejam gestantes ou lactantes ou que tenham menos de 40 kg não poderão participar do estudo.

Podem participar médicos, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, farmacêuticos, fisioterapeutas, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, biomédicos, paramédicos e agentes de saúde.

Depois do início do tratamento, os profissionais devem comparecer três vezes ao núcleo, após três dias, após 15 dias e após 30 dias do começo do estudo. É preciso fazer avaliações clínicas e realização de eletrocardiograma em todas as visitas. A avaliação final é feita no 50º dia após o início da medicação, com nova realização de todos os exames, incluindo o teste de Covid-19.

Caso o paciente tenha sintomas de coronavírus durante a pesquisa, é preciso contatar imediatamente o NPDM. Os voluntários que participarão sem receber o medicamento, apenas como controle, também devem comparecer ao núcleo três vezes.

Sobre o remédio

As substâncias hidroxicloroquina e cloroquina são utilizadas para o tratamento de doenças como lúpus, malária e artrite reumatóide. Durante a pandemia, o remédio passou a ser receitado para pacientes com Covid-19 mesmo sem comprovação científica de que seria eficaz e seguro. De acordo com o pesquisador responsável pelo estudo da universidade, o professor Odorico Moraes, é importante analisar o medicamento como possível medida profilática já que ainda não existe vacina para a doença.

“O objetivo é saber se realmente ela [a hidroxicloroquina] tem efeito profilático, se ela previne o desenvolvimento da Covid-19”, diz Odorico. Segundo ele, 13 voluntários já estão em fase de avaliação para saber se podem fazer parte da pesquisa. Não será preciso esperar para que o grupo de 400 pessoas esteja completo para iniciar os testes. O estudo foi orçado em R$ 500 mil e conta com o trabalho de 18 pesquisadores.

Mortes por Covid-19 em Fortaleza

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza


Redação 18 de Outubro de 2020