Por conta da demanda de Covid-19, atendimento pediátrico no HSJ está suspenso até dezembro

Crianças encaminhadas para unidade são transferidas para Hospital Infantil Albert Sabin, desde de março.

hsj
Legenda: Hospital São José será o local para triagem de pacientes para os testes com os medicamentos que podem tratar a Covid
Foto: Thiago Gadelha

O fluxo de pacientes diagnosticados com Covid-19 estaria por trás da suspensão do atendimento pediátrico no Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ), em Fortaleza. A Unidade B, anteriormente destinada ao tratamento de pessoa com HIV/AIDS, recebe, desde março, infectados com o novo coronavírus (Sars-Cov-2). Desta forma, esses pacientes soropositivos foram transferidos para a ala da Pediatria, suspendendo assim o atendimento ao público infantil. A previsão do Hospital é que o serviço retorne em dezembro, mas ainda não há data definida para a retomada. 

Em nota o hospital informou que para garantir a continuidade do atendimento dos pacientes da ala infantil, e dos outros envolvidos, desde março de 2020 os pacientes pediátricos estão sendo encaminhados para o Hospital Infantil Albert Sabin (Hias). O hospital pontua que 15 dos 20 leitos destinados a Covid-19, na unidade, estão ocupados. 

De acordo com o coordenador do Departamento Científico de Infectologia da Sociedade Cearense de Pediatria, Robério Leite, a situação é compreensível quando se tem uma grande demanda de casos de Covid-19, como já aconteceu na Cidade, o que não é o caso atualmente. “Nós estamos em um cenário diferente do inicial da pandemia, então não se justifica mais que isso siga acontecendo, que serviços de pediatria permaneçam fechados. É extremamente preocupante essa situação”, aponta.

“No momento atual onde temos um controle maior da transmissão, dos casos e das mortes, não se justifica mais uma redução do atendimento pediátrico que passa a comprometer o segmento de crianças com doenças crônicas, principalmente nesses serviços especializados e nas crianças mais novinhas, em que o desenvolvimento é muito acelerado, e qualquer coisa que afete esse aspecto a repercussão tende a ser muito maior”, destaca Robério.

Segundo o HSJ, a continuidade de paralisação de atendimento pediátricos na unidade foi considerada porque historicamente, no segundo semestre, há “uma redução de 40% dos atendimentos pediátricos na unidade devido às viroses infecciosas sazonais, mais comuns no primeiro semestre”, pontua. “Em março de 2019, foram registrados 440 atendimentos na emergência em Pediatria do HSJ. Já em novembro de 2019, esse número caiu para 275”, reforça em nota sobre a queda do número de atendimentos.

As atividades de pediatria “serão retomadas gradualmente no HSJ, seguindo todas as medidas de segurança”, porém a unidade de saúde não informou uma data para iniciar essa retomada. 

Covid-19

De acordo com a atualização mais recente da plataforma IntegraSUS, publicada às 17h02 desta quarta-feira (30), o HSJ é um dos 16 centros de atendimento Covid-19, no Ceará, com ocupação de leitos de enfermaria acima de 50%. O painel é gerenciado pela Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) e mostra que, das 20 vagas na enfermaria destinados às ocorrências coronavírus no HSJ, 15 estão ocupadas. O número corresponde a 75% dos leitos para pacientes Covid-19. A unidade não possui ala de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Dentre as unidades com mais de 50% de ocupação de leitos de enfermaria também está o Hias, que recebe pacientes pediátricos que se destinam primeiramente ao HSJ. Segundo a plataforma, das 24 vagas para pacientes com Covid-19, 23 estão ocupadas, somando uma taxa de 95.83%.

No Ceará, de acordo com a mesma atualização do IntegraSUS, 50,54% dos leitos de UTI destinados à Covid-19 estão ocupados. Enquanto isso, a taxa de ocupação da enfermaria é de 32,48%. Até a noite desta quarta-feira, o Estado contabilizou 241.159 casos confirmados da infecção e 8.994 pessoas perderam a vida em decorrência da doença.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza