Número de casos suspeitos de sarampo sobe de 9 para 27 em duas semanas no Ceará

Um caso da doença foi confirmado este ano no Estado

O número de casos suspeitos de sarampo no Ceará subiu de 9 para 27 em duas semanas, conforme boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde (Sesa) nesta sexta-feira (6). Um caso da doença foi confirmado este ano no Estado. 

Os casos notificados subiram de 98 para 105. Destes, 77 foram descartados e um confirmado em Fortaleza, permanecendo os outros 27 em análise. Este ano foram reportados casos da doença por 33 municípios cearenses. 

A Sesa alerta que em 2019 houve uma “discreta redução das Coberturas Vacinais, significando que um grupo de crianças (público alvo da vacina) estão faltosas para a vacinação, ficando assim suscetíveis ao adoecimento”.

UPAs com alas isoladas

Suspeitas da doença provocaram o isolamento de alas na Unidades de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Conjunto Ceará, na última terça-feira (3), e na UPA do município do Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza. A orientação da Sesa é de isolar os casos suspeitos durante o período de transmissibilidade ou orientar para que o paciente se mantenha em domicílio durante todo o período de transmissão.

Um desses casos ocorreu com uma criança francesa que havia passado por São Paulo antes de chegar ao Ceará, no fim de julho. O menino teve febre e apresentou manchas avermelhadas no corpo, que são sintomas da doença. 

Sintomas 

Os principais sintomas do vírus são febre, conjuntivite, coriza, tosse e manchas vermelhas. A doença é considerada “altamente contagiosa”, conforme a Sesa, podendo ser transmitida pelo ar, por secreções respiratórias ou da boca e gotículas produzidas em tosse ou espirro. 

Vacinas 

São necessárias duas doses da vacina contra sarampo. O Ministério da Saúde recomenda que a primeira dose da tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, seja dada em todas as crianças entre seis meses a menores de um ano de idade. A segunda dose da vacina deve ser tomada aos 15 meses de idade. 

Caso não tenha tomado nenhuma dose, e tenha entre 1 e 29 anos, ainda é necessário cumprir as duas etapas. Para quem tiver 30 e 49 anos, é aconselhável tomar apenas uma dose. 


Categorias Relacionadas