Número de casos de coronavírus chega a 185 no Ceará, segundo Sesa

Com novo informe, a Secretaria Estadual da Saúde contabiliza mais 21 casos nesta terça-feira (24) em relação ao balanço do dia anterior

O número de casos de coronavírus (Covid-19) no Ceará teve um novo aumento nesta terça-feira (24), passando de 164 para 185, segundo o mais recente informe epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) nesta tarde. O aumento é de 12,8% em relação ao levantamento de segunda-feira (23).  

A capital cearense continua no topo da lista de municípios com contaminações confirmadas. Segundo a Sesa, são 170 casos em Fortaleza, 6 em Aquiraz, em Sobral, 1 em Juazeiro do Norte, 1 em Fortim e 1 em Mauriti. Há, ainda, dois casos detectados no Ceará de pessoas residentes em São Paulo (1) e em Uberlândia (1), Minas Gerais.

O informe epidemiológico não informa mais a quantidade de casos suspeitos e descartados. O Estado registrou os três primeiros casos da doença em 15 de março último.

Estratégias

O Governo Estadual passou a adotar medidas contra a proliferação do novo coronavírus no Ceará no último dia 16 de março, quando foi decretado estado de emergência na saúde pública, e as aulas foram suspensas em escolas e universidades públicas por 15 dias. Além disso, ficaram proibidos eventos com mais de 100 pessoas. 

Logo depois, o Executivo anunciou a compra de 5 mil kits para diagnosticar os casos de Covid-19 no Estado, elevando esa aquisição apra mais de 10 mil dias depois. Na data, o governador Camilo Santana também anunciou a destinação de 200 leitos para enfermaria e 30 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) para atender aos pacientes suspeitos e eventualmente confirmados com a doença. 

Esses números subiram já no dia seguinte, quarta-feira (18), quando foi anunciada a compra de 600 UTIs e equipamentos de proteção para os profissionais da saúde. Além disso, o governador pediu o isolamento social, uma das medidas mais enérgicas até então. 

"Meu apelo é que todos permaneçam em casa nos próximos quatro dias", disse o governador Camilo Santana, em live em suas redes sociais. 

À época, 11 casos estavam confirmados no Ceará. 

Fechamento de comércio

Com o aumento dos casos confirmados e suspeitos, Camilo Santana publicou decreto para o fechamento de bares, igrejas, restaurantes, barracas de praia, shoppings, cinemas, lanchonetes e demais estabelecimentos comerciais não essenciais no Ceará por 10 dias. A medida passou a valer na sexta-feira (20), seguindo até o próximo dia 29. 

O transporte intermunicipal no Estado e a circulação de metrô e VLTs foram suspensos. Foi decretado ainda o fechamento das divisas com outros Estados e o ponto facultativo dos servidores estaduais foi prorrogado. 

O que fecha: 

  • Bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres 
  • Templos, igrejas e demais instituições religiosas; 
  • Museus, cinemas e outros equipamentos culturais, público e privado; 
  • Academias, clubes, centros de ginástica e estabelecimentos similares; 
  • Lojas ou estabelecimentos que pratiquem o comércio ou prestem serviços de natureza privada; 
  • Shopping center, galeria/centro comercial e estabelecimentos congêneres, salvo quanto a supermercados, farmácias e locais que prestem serviços de saúde no interior dos referidos dos estabelecimentos; 
  • Feiras e exposições; 
  • Indústrias, excetuadas as dos ramos farmacêutico, alimentício, de bebidas, produtos hospitalares ou laboratoriais, obras públicas, alto forno, gás, energia, água, mineral, produtos de limpeza e higiene pessoal, bem como respectivos fornecedores e distribuidores. 

O que não fecha: 

  • Órgãos de imprensa e meios de comunicação e telecomunicação em geral 
  • Serviços de call center 
  • Estabelecimentos médicos, odontológicos para serviços de emergência, hospitalares, laboratórios de análises clínicas, farmacêuticos, psicológicos  
  • Clínicas de fisioterapia e de vacinação 
  • Distribuidoras e revendedoras de água e gás 
  • Distribuidores de energia elétrica 
  • Serviços de telecomunicações 
  • Segurança privada 
  • Postos de combustíveis 
  • Funerárias 
  • Estabelecimentos bancários 
  • Lotéricas 
  • Padarias 
  • Clínicas veterinárias 
  • Lojas de produtos para animais 
  • Lavanderias 
  • Supermercados/congêneres 

Isenção de taxas

Com a interrupção do comércio e serviços e a medida de isolamento, o Governo decidiu suspender a cobrança da taxa de contingenciamento da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e isentou famílias de todo o Estado do pagamento das tarifas social e popular do consumo de água. As iniciativas têm validade de 90 dias e devem beneficiar mais de 1,5 milhão de pessoas durante a pandemia de coronavírus no Ceará. 

"Essa é uma medida importante pois garante que famílias de baixa renda possam ficar mais tranquilas. São medidas para proteger a população mais pobre do Ceará", avaliou o governador.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza


Redação 21 de Outubro de 2020