No Ceará, todas as Áreas Descentralizadas de Saúde tiveram aumento na incidência da Covid-19

De acordo com a Secretaria de Saúde, o incremento foi maior nas Áreas Descentralizadas de Crato (62,5%) e Iguatu (48,5%)

Legenda: Todos os municípios do Ceará confirmaram casos da infecção a partir do período entre 14 e 20 de junho.
Foto: Helene Santos

Todas as Áreas Descentralizadas de Saúde (ADS) do Ceará apresentaram um aumento na incidência de casos confirmados da Covid-19, de acordo com o Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) nesta quinta-feira (2). A publicação faz referência ao período até a semana epidemiológica 27, que começou no dia 28 de junho. 

O incremento na incidência foi maior nas ADS de Crato, que aumentou em 62,5%, e de Iguatu, com 48,5% a mais. Juazeiro do Norte, Tianguá e Sobral vêm em seguida, com aumento de 34,2%, 32,2% e 30,1%, respectivamente. O menor incremento foi observado na ADS de Fortaleza, cujos casos confirmados subiram em 7%. 

A incidência de casos não foi o único fator a crescer no Ceará. O boletim indica que, em uma semana, a taxa de mortalidade foi de 56,5 para 62,6 óbitos por 100 mil habitantes. Neste quesito, destacam-se as ADS de Juazeiro do Norte, Tianguá, Camocim, Russas e Acaraú, onde o aumento na mortalidade foi de 39,7%, 34,2%, 32,9%, 31,6%, e 25,9%, respectivamente. 

Ceará teve duas ondas de casos da Covid-19, diz Secretaria da Saúde 

Na última semana, segundo a Secretaria da Saúde, os municípios de Aiuaba e Croatá registraram os primeiros óbitos provocados pela Covid-19. Todos os municípios do Ceará confirmaram casos da infecção a partir do período entre 14 e 20 de junho. 

“Quanto à incidência de casos confirmados acumulados por 100 mil habitantes, as ADS de Acaraú, Camocim, Sobral, Maracanaú, Fortaleza, Itapipoca, Baturité, Caucaia, Cascavel e Canindé registraram incidências superiores à estadual, tendo a ADS de Canindé superado o Estado pela primeira semana”, acrescenta a Sesa.