Mudança do nome da Avenida Dedé Brasil confunde moradores

A Redação Web do Diário do Nordeste esteve no bairro Castelão e conversou com moradores e comerciantes sobre a mudança de nome

Escrito por Redação Web,

Metro

Quem mora no bairro Castelão se deparou recentemente com a mudança no nome de uma das avenidas mais conhecidas de Fortaleza, a Dedé Brasil e atual Avenida Dr. Silas Munguba. Pode não ser novidade perante à lei, mas para os moradores é algo novo e preocupante, pois a avenida já é conhecida por outros 3 nomes: Paranjana, Pedro Ramalho e Dedé Brasil

Dona Zélia Santiago, aposentada, mora há 39 anos no local e recebe suas correspondências com os diferentes nomes. Já o comerciante Balbino Santiago constatou que a mudança já confudiu alguns clientes, "Desde que as placas mudaram que tenho que explicar que a avenida é a antiga Dedé Brasil. Não tem jeito, vou continuar chamando de Dedé Brasil", conta.

A reportagem questionou aos moradores quem foi Silas Munguba. As respostas foram divergentes, mas ninguém respondeu com plena certeza. Desde 2010 foi aprovado na Câmara Municipal de Fortaleza o projeto do vereador Antônio Henrique (PROS) que deu um novo nome à via. A ideia foi homenagear o médico e fundador do Desafio Jovem do Ceará, casa referência na recuperação de dependentes químicos e com mais de 35 anos que tem sede na avenida.

Além de ter seu nome em uma via da capital, o Dr. Silas Munguba, falecido em 2009, também tem seu nome estampado numa unidade de acolhimento de jovens dependentes químicos, no Bairro Conjunto José Walter. Conforme os Correios, a estatal afirmou que a mudança no nome da avenida não trouxe impacto para o serviço de distribuição, já que o CEP continua o mesmo. O orgão aconselhou aqueles moradores que recebem suas cartas no mesmo endereço, mas com nomenclatura diferente, que informem à instituição responsável o nome correto do local para que a alteração seja feita.