MP solicita esclarecimentos sobre distribuição de cloroquina à Sesa

A procura pelo fármaco aumentou depois de ser noticiado que seria eficaz contra o novo coronavírus, mesmo que ainda não haja confirmação científica

Diante do aumento súbito na procura nas farmácias por cloroquina e hidroxicloroquina, o Ministério Público do Ceará decidiu questionar o Governo do Estado sobre os procedimentos de distribuição dos fármacos para a rede privada e saúde e para os pacientes que não são atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e não encontram os remédios nas drogarias. A solicitação da 137ª Promotoria de Justiça de Fortaleza foi feita nesta segunda-feira (23) e encaminhada ao secretário Estadual da Saúde (Sesa), Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto. 

Foi dado um prazo de 48 horas para que a Sesa desse uma resposta ao Ministério Público. Em nota ao Sistema Verdes Mares, a Secretaria informou que ainda não foi notificada e responderá no tempo previsto a partir de quando receber a requisição. 

A cloroquina e a hidroxicloroquina são medicamentos utilizados no tratamento de artrite, lúpus e malária. As notícias de que estariam sendo testados para o tratamento da Covid-19, porém, fez com que a busca pelos fármacos aumentasse, comprometendo os estoques para quem faz uso regular dos remédios. 

Dessa forma, o Ministério Público recomendou às farmácias na última sexta-feira que realizasse a venda dos medicamentos exclusivamente mediante receita médica, retendo em seguida a prescrição.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza