Moradores de prédio demolido na Maraponga relatam dificuldades na identificação dos pertences 

Os objetos foram levados para um galpão no bairro Bonsucesso.

Foto: Foto: Livia Baral

Moradores do prédio que desabou na Maraponga denunciam que pertences resgatados do imóvel foram danificados ou roubados após a demolição. Livros, calçados, mochilas, roupas, bolsas e outros bens foram retirados dos escombros e levados para um galpão no bairro Bonsucesso, onde estão armazenados. Segundo os moradores, alguns dos objetos foram encontrados avariados e bolsas foram devolvidas sem documentos e dinheiro.  

Legenda: Os pertences estão amontoados sobre tábuas, prateleiras e também espalhados pelo chão dificultando a identificação.
Foto: VC repórter

 

"Além de termos perdido quase tudo com a demolição, ainda temos que dar o nosso jeito para poder vir pegar o que sobrou de nossas coisas aqui no bairro Bonsucesso, pagar táxi, ou pegar ônibus, um absurdo", reclama Emanuelle Lima, ex-moradora do prédio.

Emanuelle registrou imagens do galpão para onde os objetos foram levados. A nutricionista relata que os pertences estão amontoados sobre tábuas, prateleiras e também espalhados pelo chão, dificultando a identificação - mas comemora ter "recuperado alguns livros importantes, apesar de muito danificados". A ex-moradora declara, ainda, que até hoje nunca houve uma reunião entre os moradores e os donos do condomínio para resolver a situação.  

"Nós não temos tido assistência dos donos do imóvel, a gente precisa saber como vai ficar nosso presente e nosso futuro, porque já se passou um mês que tudo aconteceu e ainda estamos morando de favor, em casa de amigos e familiares", lamenta.

A advogada dos proprietários do prédio, Carolina Abreu, informou ao Sistema Verdes Mares que a escolha do galpão no bairro Bonsucesso foi uma "medida de urgência" para acomodar os pertences dos ex-moradores. Disse ainda que a organização do espaço foi realizada pelos próprios proprietários e que todos os itens possíveis de serem recuperados, após a demolição, já estão no local. Segundo ela, todos foram comunicados por telefone para irem em busca de seus objetos pessoais. Sobre os objetos danificados, a advogada disse que não pode afirmar que o problema foi causado pela demolição.   

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados


Redação 19 de Outubro de 2020
Redação 18 de Outubro de 2020