Médicos arrecadam doações para manter aluguel de dona de lanchonete em Fortaleza

A comerciante Maria Helena da Costa foi surpreendida por médicos residentes do Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara na semana passada com a doação de R$ 3.200 para manter o ponto onde trabalha há 14 anos

Foto: Foto: Arquivo Pessoal

Os sentimentos de medo e preocupação experimentados pela comerciante Maria Helena da Costa, 48, diante da nova realidade da epidemia do coronavírus deram lugar à emoção e alívio. Ela foi surpreendida na semana passada por médicos residentes do Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara (HGWA), que arrecadaram R$ 3.200 para que ela pudesse se manter por mais tempo, apesar da baixa nas vendas de sua lanchonete.  

A produção e venda de lanches, bolos e café no estabelecimento situado ao lado do hospital é fonte de sustento para Helena e sua família há 14 anos. Com a epidemia, surgiram dificuldades. “A gente tá vendendo em delivery, mas não está sendo como antes. Eu recebia os médicos na lanchonete, mas não ‘tá’ podendo mais. Não estava podendo pagar o aluguel e estava sem mercadoria, sem capital de giro pra poder comprar”, conta.  

Com as doações, ela conseguiu comprar os ingredientes necessários para preparar os produtos e poderá pagar o aluguel do espaço onde mantém a lanchonete. “Chorei demais, fiquei grata. Deu mais ânimo pra continuar trabalhando. Agora eu não saio mais daqui”, comemora.  

A proximidade entre Helena e os médicos – em especial, os residentes – do HGWA foi construída ao longo dos anos. Ela já foi homenageada por estudantes de Medicina pelo menos quatro vezes, durante cerimônias de formatura. “Eles são como filhos pra mim. Já fui pra casamento deles, formatura, eles já foram na minha casa pegar café. Eu amo esse hospital”, revela.  

Apesar dos poucos pedidos por delivery, Helena ainda conta com a renda obtida através das vendas de quentinhas para o almoço. Mas o orgulho maior está no carro-chefe da lanchonete: o bolo de iogurte com canela. “Todo mundo gosta, e é o que mais vende. O pessoal encomendou muito esses dias”, diz.  

Contribuição 

A iniciativa da doação partiu de médico Renan Diniz, 32, residente em clínica média no Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara. Ele questionou a comerciante acerca dos desafios para se manter, agora com menos clientes, e conversou com funcionários do hospital e demais residentes para propor a arrecadação.   

Ceará chega a 31 óbitos por coronavírus nesta segunda-feira (6), segundo IntegraSUS 

“A dona Helena tem uma relação muito próxima com a gente, como se fosse uma segunda mãe. Ela não é de reclamar nem ficar pedindo. É uma pessoa muito otimista e alegre”, conta. Para doar, foram sugeridos inicialmente os valores de 20 reais, a serem entregues pelos residentes, e 40 reais para os funcionários médicos da clínica. A ideia se espalhou rapidamente.  

“Colocaram no grupo de ex-residentes de clínicas e em um dia conseguimos arrecadar 3.200 reais. Foi muito bom, pois eu acho que o aluguel lá é uns 800 reais, se não me engano. Vai dar pra ela ficar pelo menos até uns dois meses”, explica Renan Diniz. “A gente deu um papelzinho com uma mensagem de agradecimento e o envelope (com dinheiro)”, descreve o ato da entrega.  


Categorias Relacionadas


Redação Há 2 horas