Média de recuperados da Covid-19 entre abril e junho é de 815,7 casos por dia

O mês de maio apresenta, até o momento, a maior quantidade de casos de recuperação; ao todo, foram 37.791

Escrito por Redação,

Metro
Legenda: Nilza Cavalcante, de 95 anos, comemora alta após 18 de internação no Hospital de Campanha do Presidente Vargas, em Fortaleza
Foto: Natinho Rodrigues

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Ceará chegou a 87.273 e, desde o início da detecção oficial da doença no Estado, em 15 de março, 64.176 pessoas já se recuperaram, conforme boletim da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) desta quinta-feira (18). De 1º de abril a 17 de junho, tem-se uma média de 815,7 recuperados da Covid-19 por dia.   

Considerando somente o período entre 1º a 17 de junho, o Ceará contabiliza 18.077 recuperações, o que dá, em média, 1063,35 curas da doença por dia. O mês de maio, por sua vez, tem uma média de 1219,06 e foi o período com mais casos de recuperados, ao todo foram 37.791.   

Já durante o mês de abril, 7.715 pessoas se recuperaram da Covid-19 no Ceará. Em média, foram 257,17 recuperações diárias. Os dados foram calculados por meio das informações da plataforma IntegraSUS da Sesa considerando os determinados períodos.   

Fortaleza, epicentro da doença no Estado, lidera o número de casos recuperados. A capital cearense acumula, até essa quarta-feira (17), um total de 23.089 curas da Covid-19. Em seguida, vem Sobral (3.601), Caucaia (2.040) e Maracanaú (2.249), municípios com maior quantidade de casos confirmados da enfermidade.   

Taxa de contágio 

A taxa de contágio da doença vem caindo desde o dia 30 de maio. Nos dias 15 e 16 de junho, foram registradas as menores taxas de transmissão da Covid-19 desde o início da pandemia no Ceará. O índice chegou a 0,73, ou seja, cada grupo de 100 pessoas infectadas com o vírus contamina outras 73 saudáveis.   

O número, entretanto, ainda é considerado alto, já que a média da baixa transmissão vai de 0 a 0,4. Os índices superiores a 1 indicam que a doença não está controlada. A média no Ceará, atualmente, é de 0,5 e 0,9.