Idoso se despede de hospital sob aplausos ao receber diagnóstico de cura da Covid-19

José Ernanes Pedrosa, de 75 anos, sentiu os primeiros sintomas em casa e só foi internado sete dias após o início do tratamento, no dia 20 de maio

Legenda: Os filhos devem se revezar nos cuidados a José Ernanes (na ponta esquerda da foto) durante o isolamento para a recuperação
Foto: Foto: arquivo pessoal

O aposentado José Ernanes Pedrosa, de 75 anos, é um dos cearenses que venceram a Covid-19. Desde o primeiro sintoma até o fim da internação, foram momentos de batalha contra o novo coronavírus. Quando foi liberado na terça-feira (26) do Hospital Distrital Evandro Ayres de Moura, o Frotinha do Antônio Bezerra, recebeu aplausos calorosos da equipe de profssionais. Agora, completamente curado, são os familiares que agradecem pela oportunidade de tê-lo de volta ao convívio.

Com sorriso no rosto ao sair do local, ouviu frases como "se cuide, saúde para o senhor" e deu entrada no que será uma nova fase. Desde os primeiros sintomas, registrados sete dias antes da entrada no hospital, em 20 de maio, nem mesmo os familiares poderiam prever a internação. "Nós só recebemos o diagnóstico realmente quando meu pai já estava internado, na verdade. A gente notou os sintomas e ele foi medicado em casa, primeiramente. Levamos no posto e no sexto dia ele já tinha feito a primeira fase da medicação. Mesmo assim, depois disso, ele já começou com a falta de ar", explica Maria do Socorro, uma das filhas do idoso. Com a dificuldade de respirar, veio a preocupação em buscar uma atenção maior ao pai.

"Fomos ao posto de saúde novamente e a médica já resolveu encaminhar para a internação. Quando chegamos no Frotinha, analisaram a saturação dele e falaram para a gente que ele seria internado", revela emocionada. "Ele chegou a me pedir que não ficasse no hospital e nessa hora você não sabe o que fazer, né? Mas, claro, a gente se vê obrigado a deixar porque, afinal de contas, a gente estava lutando pela vida do meu pai", reforça. 

A partir de então, sete dias de internação para seguir no tratamento foram necessários. Segundo Maria, agora completamente curado, o pai deve seguir recebendo cuidados de apenas um integrante da família por vez. "Por aqui, vamos manter os mesmos cuidados como se ele estivesse no hospital, com toda a atenção a ele", diz. Além disso, ela também conta a sensação de felicidade ao ver que nenhum dos outros familiares apresentou sintomas da doença nos últimos dias. 

Ao lembrar que o pai já pôde tomar sol e se recuperar, aos poucos, já na manhã desta quarta (27), Maria do Socorro não esquece de ser grata. "Queremos muito agradecer a Deus pela recuperação e aos profissionais do Frotinha, pelo médico que cuidou dele diretamente, por tudo que fizeram por nós”, ressalta. Os próximos dias, certamente, devem ser de momentos felizes dentro do lar.