Ibama volta a fiscalizar pesca ilegal nos mares do Ceará 

Por limitações estruturais, o órgão só realizava a vistoria no Aeroporto Internacional Pinto Martins e nos estabelecimentos 

Escrito por Redação,

Metro
Legenda: O Ibama vai utilizar o barco Argo Equatorial, do Labomar, na fiscalização dos mares cearenses

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis (Ibama) voltará a fiscalizar a pesca ilegal nos mares do Ceará. Um convênio firmado nesta quinta-feira (6) entre o Instituto de Ciências do Mar (Labomar) da Universidade Federal do Ceará (UFC) e o órgão viabilizou a retomada das vistorias. 

O acordo prevê que o Ibama utilize o barco Argo Equatorial, do Labomar, na fiscalização. O superintendente estadual do Instituto, Gabriel Sobreira Lopes, disse que as vistorias ocorrem em várias etapas, uma delas é no mar, evitando que produtos ilegais desembarquem em terra. 

No entanto, a fiscalização só era feita no Aeroporto Internacional Pinto Martins e em estabelecimentos comerciais por causa de limitações estruturais. Com o convênio, o cenário muda, conforme Lopes. 

"Nós estávamos com uma defasagem nessa fiscalização. Por cerca de cinco anos. Estamos com um passivo grande. A expectativa é poder voltar a fiscalizar a pesca ilegal, que causa problema para todo mundo", ressalta Gabriel.  

Além disso, o convênio também proporciona benefícios ao Labomar. 

Confira às possibilidades de uso da embarcação para as duas instituições: 

  • Gerar dados que embasem a adoção de melhores práticas de manejo e preservação de espécies marinhas, estuarinas e costeiras;  
  • Incentivar o desenvolvimento de técnica de monitoramento da costa; 
  • Monitorar atividades de pesca artesanal ao longo do litoral cearense e estados circunvizinhos; 
  • Fiscalizar e limitar a pesca predatória e suas consequências; 
  • Compartilhar dados técnicos e estatístico para análise científica; 
  • Aprimorar os instrumentos legais de proteção às espécies marinhas, estuarinas e costeiras