Hospital da Messejana volta a registrar aglomeração para marcação de consultas em Fortaleza

Pacientes também apontam dificuldades em agendar atendimentos por telefone

Aglomeração Hospital de Messejana
Legenda: De acordo com relatos, senhas começaram a ser distribuídas às 5h da manhã
Foto: Fabiane de Paula

O pátio do Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), em Fortaleza, voltou a registrar aglomeração de pessoas na manhã desta terça-feira (12). A reportagem do Diário do Nordeste esteve no local e registrou a multidão formada, em sua maioria, por idosos. 

De acordo com relatos, algumas pessoas dormiram no local para garantir a senha. Com isso, o volume de pessoas ficou intenso a partir das 5h. José Nogueira, 52, foi um dos que chegou ao Hospital na madrugada. É a segunda vez que o idoso, natural da cidade de Morada Nova, veio à unidade para agendar retorno para a esposa, que é acompanha na rede pública para doença de chagas.

"Eu vim sexta e não sabia que tinha esse negócio dessas fichas. No dia, cheguei aqui era 8h e já tinham despachado as fichas. Hoje, cheguei aqui às 4h e ainda peguei 114", conta. Por nota, a Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) informou que 400 senhas para marcação de consultas eletivas foram distribuídas no Hospital de Messejana nesta terça.

O pronunciamento da Pasta acrescenta, ainda, que "pacientes e acompanhantes que procuram a unidade ficam divididos em três áreas e são orientados pelos seguranças da unidade a manterem o distanciamento e respeitar a chamada das senhas, para evitar aglomeração". A prioridade de atendimento, contudo, é para pacientes que tiveram as consultas eletivas suspensas em 2020 por conta da pandemia.

Telefone

Para garantir o atendimento, José precisou acordar cedo. Mesmo assim, ainda se surpreendeu com a multidão encontrada. "Sai às 2h da manhã. Cheguei, já tinha uma multidão de gente na minha frente", Ele relata que também tentou contato por telefone antes de buscar atendimento presencial, mas sem sucesso. "Chama, chama e não atende", diz.  

Uma mulher que pediu para não ser identificada buscou o Hospital de Messejana depois de não conseguir agendar consultas por telefone. “A gente liga, liga e só dá ocupado”, diz. Ela, com 32 anos e asmática, esteve na unidade para agendar o retorno da mãe, uma idosa de 60 anos. “Sai de casa às 4h da manhã, vindo do Canindezinho. Quando cheguei aqui já estava lotado. Tomei um susto. Nunca passei por isso aqui, é a primeira vez”, confessa.

As senhas, relata, não foram suficientes para todo mundo. Alguns precisaram voltar para casa. “Foram embora porque não receberam as senhas”, explica a mulher que atribui a falta à quantidade de pessoas no local. “Quando cheguei, às 5h30, já tinha gente aqui, dormindo”, conta. 

A Sesa adiciona que aumentou a capacidade para atendimento presencial e por telefone. "Atualmente são 6 guichês de atendimento presencial, sendo dois deles para atendimento prioritário e quatro linhas telefônicas", informa a nota. As marcações podem ser feitas de segunda a quinta-feira, de 8h às 17h e sexta-feira, de 8h às 16h pelos números: (85) 3101-4112 / (85) 3101-7813 / (85) 3101-4075 e (85) 3101-4156. De segunda-feira, 4 de janeiro, até o dia 11, foram registrados 508 atendimentos por telefone.

Reprise

Episódios de aglomeração para marcação de atendimento se tornaram frequentes nos últimos dias. Além do registrado na última sexta (8), em 16 de dezembro de 2020 o atendimento da Farmácia do Serviço de Pacientes Externos foi interrompido no período da manhã e várias pessoas que estavam no local ficaram sem receber medicamentos.

Na ocasião, o hospital informou que a suspensão ocorreu devido a uma reunião de alinhamento interno e ressaltou que o serviço não foi prejudicado. "Até as 16h desta quarta-feira, todos os 220 pacientes e acompanhantes que procuraram o serviço, foram atendidos e receberam normalmente as medicações", afirmou o hospital à época. 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza