Fisioterapia: conheça mais sobre especialidades e áreas de atuação

Profissão é regulamentada desde 1969.

Escrito por Educa Mais Brasil,

Metro

Desde a prevenção de lesões até a reabilitação de pacientes, o fisioterapeuta aplica técnicas em forma de exercícios que são necessários para crianças e adultos, jovens e idosos, homens e mulheres. Os dados são do Censo da Educação Superior 2017, divulgados pelo instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), indicam que 546 instituições de ensino públicas e privadas somaram 164.016 matrículas e registraram 17.116 concluintes no último ano. 

A graduação em Fisioterapia é ofertada como bacharelado e dura, aproximadamente, cinco anos. Por pertencer à área de saúde e lidar diretamente com as estruturas do corpo, os estudantes aprendem Anatomia, Biologia e Saúde Pública e vivenciam áreas como a ortopedia, cardiologia e a neurologia.

“O fisioterapeuta não atua apenas no corpo, eles precisa, de certa forma, oferecer uma ajuda psicológica também, pois as pessoas são corpo e alma”, acrescenta o estudante Matheus Alves, de 22 anos. A capacidade de reabilitar as pessoas e a importância do tratamento foram alguns dos motivos que despertaram a paixão pela formação. “É preciso ter responsabilidade com o próximo ao escolhermos uma área de atuação”, conclui.

Mercado de Trabalho

Atualmente, a jornada diária do profissional não pode ultrapassar trinta horas semanais, de acordo com a Lei º 8.856, de março de 1994. Embora o piso salarial da categoria seja definido pelos sindicatos locais, grande parte fixa o valor mínimo em R$ 2,3 mil. Estados que não têm sindicatos reconhecidos pelo Ministério do Trabalho, a referência salarial está alinhada com a Convenção Coletiva do Estado de São Paulo, de acordo com a Federação Nacional dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais (FENAFITO).

A profissão é regulamentada há 49 anos, por meio do Decreto-Lei nº 938, de outubro de 1969. O Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO) e os Conselhos Regionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (CREFITO) foram criados seis anos depois, em dezembro de 1975, por meio da Lei nº 6316, que estabelece direitos e deveres dos profissionais em território nacional.

Bolsa de estudo

O curso de Fisioterapia está disponível em praticamente todas as regiões do país. Pessoas com dificuldade financeira não precisam abrir mão do sonho de cursar uma faculdade. Podem contar com apoio de bolsa de estudo do Educa Mais Brasil, o maior programa de inclusão educacional do país. As bolsas oferecem desconto de até 70% no valor da mensalidade. 
Para todo o ensino superior, que inclui a graduação e a pós-graduação, são ofertadas mais de 400 mil oportunidades para o primeiro semestre de 2019. Considerando todos os níveis de ensino abrangidos pelo Educa Mais, são mais de 700 mil bolsas. 

A contratação deve ser feita no site do programa, a partir dos filtros de localidade e curso desejado. Em 15 anos de atuação, mais de 900 mil pessoas já foram beneficiadas. 

Especialidades da Fisioterapia

Para quem já é graduado, o programa também oferta pós-graduações para 2019. São, ao todo, 15 especialidades reconhecidas pelo COFFITO: Fisioterapia em Acupuntura, Fisioterapia Cardiovascular, Fisioterapia Dermatofuncional, Fisioterapia Esportiva, Fisioterapia Aquática, Fisioterapia em Gerontologia, Fisioterapia do Trabalho, Fisioterapia Neurofuncional, Fisioterapia em Oncologia e Fisioterapia Respiratória.

 

CONTEÚDO PUBLICITÁRIO ESPECIAL
logo educa mais brasil