Filhote de bicho-preguiça resgatado em caminhão recebe cuidados clínicos em criadouro de Horizonte

Conforme proprietário do local, animal não apresenta ferimentos, mas segue assustado; Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) deve decidir se realizará transferência do filhote

Legenda: Animal de aproximadamente 6 meses tem área reservada em criadouro de Horizonte e acompanhamento atento de sua alimentação e peso
Foto: Criadouro Bicho do Mato

O bicho-preguiça resgatado por policiais da 1ª Companhia do Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA) na última segunda-feira (3), tem recebido atendimentos clínicos no criadouro Bicho do Mato, em Horizonte. Apesar de não apresentar feridas, segue bastante assustado e se encontra em uma área reservada do local durante o período de observação, segundo engenheiro agrônomo e proprietário do criadouro, Luiz Mosca.

Conforme explica, a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) analisa a situação a fim de decidir se o animal, de aproximadamente seis meses, deve continuar no local ou ser designado para outro ambiente. “Provavelmente, ele não vai ter condições de voltar para a natureza, pelo menos a princípio”, pondera Luiz, responsável por acompanhar os trabalhos de reintrodução de animais resgatados à natureza. 

O filhote, transportado acidentalmente para a capital cearense, recebe acompanhamento clínico, como a medição de temperatura e checagem do peso e da alimentação. No criadouro, autorizado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), os contatos presenciais são apenas os essenciais para não assustar o animal. 

bicho-preguiça resgatado em horizonte

“A gente está deixando o máximo possível ele sozinho no recinto, isolado, para ver se ele se acalma e se fica legal. Só de você chegar no espaço em que ele está, já se encolhe todo. Está muito assustado”, afirma o proprietário do local. 

Acompanhamento 

Mantido em um recinto amplo, com árvores e pontos de água, o espaço considera os hábitos do filhote de bicho-preguiça. “Ele tem uma característica de descer da árvore para fazer cocô na água. Então, tem que ter lugar para ele fazer cocô na água e outro para beber em uma água limpa. A gente está tentando para fazer o máximo possível para fazer tudo de bom para ele”, acrescenta o engenheiro. 

Além disso, por ter uma dieta restrita, tanto em cativeiro como na natureza, o cuidado em relação à nutrição do animal tem sido realizado ao máximo, sendo colocadas distintas folhas e alimentos para que ele possa se alimentar. “Também olhamos se as folhas foram comidas, para ter certeza que está se comendo. Está até pegando outras folhas que a gente achava que ele não ia pegar”, relata com felicidade.

Por não ter apresentado nenhuma ferida, o bicho-preguiça não recebe tratamento medicamentoso. Nesse momento, o engenheiro agrônomo pondera ser perigoso inserir medicamentos sem o conhecimento das possíveis reações do animal. 

Resgate

O bicho-preguiça encontrado na carroceria de um caminhão-cegonha, vindo do Maranhão, foi visto quando o veículo parou no bairro Aerolândia, em Fortaleza. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), policiais foram acionados por volta das 10h de segunda-feira (3), para resgatar o bicho-preguiça preso na carroceria do veículo.

Agentes do BPMA foram ao local para resgatar o animal. Em seguida, encaminharam o bicho-preguiça até o criadouro Bicho do Mato, na cidade de Horizonte. 

“Quem está dando suporte à polícia ambiental, são os criadouros do Estado. Estamos dando todo o apoio sempre que a polícia nos procura. Para tentar ajudar nesses resgates, nessa manutenção de animais”, finaliza Luiz Mosca.

Você tem interesse em receber mais conteúdo da cidade de Fortaleza?