Feira da José Avelino tem aglomeração em meio a alerta de aumento da transmissão da Covid-19 no CE

Na manhã deste sábado (24), circulação na área foi intensa. Maior parte do público não seguiu as recomendações de distanciamento físico

Feira da José Avelino
Legenda: Movimentação foi intensa na manhã deste sábado.
Foto: Camila Lima

Na Feira da José Avelino, no Centro da Capital, a manhã deste sábado (24) foi de aglomeração e descumprimentos de medidas sanitárias. A movimentação se concentra no entorno da Catedral de Fortaleza, entre Rua José Avelino e Avenida Alberto Nepomuceno, principalmente no setor de vestuário. Idosos, um dos grupos mais vulneráveis à Covid-19, estavam presentes no local. É possível observar clientes e comerciantes sem distanciamento adequado — parte deles, sem máscaras.

 

A proteção facial ainda é obrigatória em decreto governamental para evitar a propagação do novo coronavírus. Em nota enviada ao Sistema Verdes Mares, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) informou que monitora a área desde a manhã deste sábado. O órgão adicionou que atua na abordagem e orientação dos ambulantes da região. As recomendações são para a desocupação do espaço público. Ainda segundo a Agefis, casos de irregularidade podem resultar em multa e apreensão de mercadorias.  

Mortes por Covid-19 em Fortaleza

Situações de aglomerações de pessoas, as ações resolutivas são aplicadas pelas forças de segurança. A reportagem também procurou a Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) sobre o assunto e não retorno.

Mais casos

A cena que se repete na Capital mesmo depois da sinalização de aumento na taxa de transmissão do novo coronavírus no Ceará. O alerta foi feito pelo Comitê Científico do Consórcio Nordeste, nesta sexta-feira (23).  De acordo com pesquisadores ligados ao Comitê, o Estado apresenta taxa de transmissão entre 1,01 e 1,50. Ou seja: cada pessoa infectada pode transmitir o vírus para mais de um indivíduo não infectado. Ainda para os pesquisadores, o dado é considerado sinalizador para nova fase de grande incidência da doença. 

A Secretaria de Saúde Estadual (Sesa), contudo, avalia ser precoce atribuir a incidência à uma segunda onda no Estado. O órgão informou ainda que acompanha diariamente a evolução dos casos de Covid-19 no Ceará e observa uma flutuação geográfica das estatísticas.

As imediações da Capital, de acordo com o boletim mais recente da Sesa sobre o novo coronavírus, presenciaram um aumento nas ocorrências da doença. A Região de Saúde de Fortaleza, composta por 44 municípios, apresentou 72% de crescimento nos casos Covid-19 em uma semana. 

O levantamento da Sesa detalha que entre os dias 10 e 17 de outubro as cidades da região registraram 743 novos casos, média de 106 por dia. Oito óbitos foram confirmados no mesmo período também representam aumento de 33,3% em relação ao boletim anterior.

Quando a análise é direcionada apenas para Capital, contudo, os dados são outros. Houve aumento de 1,6% nos casos e redução de 55,2% dos óbitos. A análise considera o intervalo entre as semanas epidemiológicas 38 e 41 (duas quinzenas). 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados