Estudantes fazem ato contra reitor da UFC durante cerimônia de colação de grau no Benfica

O professor Cândido Albuquerque foi o candidato menos votado em consulta pública para o cargo na universidade, mesmo assim, foi nomeado reitor pelo presidente Jair Bolsonaro.

Legenda: Estudantes exibem faixa contra reitor durante colação de grau na UFC
Foto: Foto: Adufc Sindicato

O reitor da Universidade Federal do Ceará, Cândido Albuquerque, foi alvo de prostesto de estudantes durante a cerimônia de colação de grau realizada na noite desta terça-feira (14), na Concha Acústica da Reitoria, no bairro Benfica, em Fortaleza.

Cândido foi o candidato menos votado em consulta pública para o cargo, e assumiu a reitoria após ser nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro, motivando protestos dos alunos em agosto do ano passado.

Em nota, a UFC informou que qualquer ato que coloque em risco a execução da cerimônia de colação de grau, comprometendo seus ritos históricos, simbólicos e legais, também macula o direito dos estudantes, de suas famílias e de todos os convidados de vivenciar esse evento social ímpar e memorável em sua plenitude.

A universidade finaliza dizendo que a programação de colação de grau será mantida e alerta que é absolutamente inaceitável que algumas pessoas e movimentos sindicais atuem — individual ou coletivamente — contra a garantia da colação de grau das alunas e alunos da UFC.

Nota divulgada pelo Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará (Adufc-Sindicato) nesta quarta-feira (15) rechaça o posicionamento da UFC. A entidade afirma que o protesto "era contra a intervenção na Universidade e não contra a colação de grau". A nota ainda destaca que os estudantes apoiaram o ato, "incorporaram-se ao protesto e até aplaudiram os manifestantes".

Para a Adufc, a nota da UFC "é um instrumento de ameaça, com a finalidade indisfarçável de coibir manifestações e justificar repressão". O texto do sindicato frisa que "a manifestação foi pacífica e durou alguns minutos".

Protesto durante a colação

Segundo testemunhas, o reitor Cândido Albuquerque foi vaiado toda vez que tentava falar ao público. Quando os representantes dos cursos foram chamados para a frente, uma faixa foi exibida com a frase "Fora interventor, não elegemos, não reconhecemos". Um grupo de concludentes vestia camisas com os mesmo dizeres.

Na hora de conferir grau aos formandos, no encerramento da cerimônia, o reitor foi hostilizado outra vez e não chegou a fazer o discurso final. Seguranças fizeram um isolamento para proteger a saída do reitor. 

Colaram grau na noite desta terça-feira (14) os estudantes dos cursos ofertados pela Faculdade de Medicina, Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Instituto de Cultura e Arte, Instituto de Educação Física e Esportes, Instituto UFC Virtual e Instituto de Ciências do Mar.