Estudantes de medicina da UFC têm pedido para antecipar formatura suspenso

Decisão foi tomada pelo Tribunal Regional Federal da 5a Região após recurso da Universidade.

Neste sábado (28), o Tribunal Regional Federal, da 5a região, resolveu suspender o pedido de adiantamento de formatura para 90 alunos de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC). O motivo, segundo informa o processo, é um pedido de recurso da Universidade. A decisão foi tomada pelo desembargador Fernando Braga. 

 

Na semanada passada, a 115ª turma de Medicina da UFC requisitou o adiantamento da formatura para que os estudantes pudessem reforçar o efetivo de saúde no Estado em tempos de pandemia. Os estudantes foram representados pelo Sindicato dos Médicos do Ceará, e um pedido de Tutela de Urgência foi expedido junto à Advocacia Geral da União (AGU). 

>90 estudantes de Medicina da UFC vão se formar antecipadamente para atuar contra coronavírus


A instituição alega que os alunos ainda não estariam com formação completa e, por isso, não poderiam atuar como profissionais plenos. Outro ponto seria o impacto no atendimento dos hospitais universitários onde os alunos atendem, que ficaria com as equipes desfalcadas.  

 

De acordo com o reitor da UFC, professor Cândido Albuquerque, colocar os alunos no para atuar seria uma atitude grave.

“Nós não podemos formar profissionais sem formação completa. Alguns deles não cursaram, por exemplo, os créditos relacionados a pediatria. Como esses alunos iriam tratar crianças?”, salienta, Cândido Albuquerque. 


O Sistema Verdes Mares conversou com Narcílio Freitas, um dos alunos envolvidos na ação. Ele informou não haver nenhuma decisão sobre o assunto mas garantiu que “os alunos cursaram pelo menos 95% da grade curricular do curso”. 

Outras instituições


Além do pedido dos estudantes da UFC, turmas de medicina da Universidade de Fortaleza, Universidade Federal do Cariri (UFCA) e do campus de Sobral da UFC também entraram com requisição similar no Ceará. 


Até o momento, somente os estudantes da Universidade de Federal tiveram os pedidos negados. Ao todo, o Sindicato de Médicos do Ceará representou 232 alunos cearenses junto à Advocacia Geral da União para adiantar as formaturas.


Categorias Relacionadas