Estado de isolamento social deve continuar, afirma Roberto Cláudio; decreto sai nos próximos dias

O anúncio foi feito pelo prefeito Roberto Cláudio, em live na tarde desta quinta-feira (28), depois da apresentação do plano de retomada da economia

Ainda que o início da implementação do plano de retomada da economia no Ceará já tenha início a partir desta segunda-feira (1º), o estado de isolamento social em Fortaleza deve continuar, conforme anunciou o prefeito Roberto Cláudio no fim da tarde desta quinta-feira (28), por meio de transmissão ao vivo nas redes sociais. O planejamento formulado pelo Governo do Estado foi divulgado por Camilo Santana também nesta quinta

"A gente não está saindo de um isolamento social rígido pra uma abertura das atividades de forma regular e cotidiana. A gente vai continuar em estado de isolamento social. É muito importante a população inteira entender que a gente só está conseguindo reduzir novos casos nos postos de saúde, novos casos nas UPAs, uma redução do encaminhamento para UTIs e leitos de internação, uma tendência de redução dos óbitos graças ao cumprimento do isolamento social. Isso vem acontecendo desde março e permitindo que muitas vidas sejam salvas", pontuou. 

Roberto Cláudio explicou que este primeiro momento de retorno das atividades econômicas será como um monitoramento de todo o processo, observando sempre as consequências para o controle da epidemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) na capital. Esse foi o mesmo tom adotado pelo governador Camilo Santana e o secretário da Saúde Dr. Cabeto no anúncio do plano de transição para retomada da economia, nesta tarde.

"A gente vai começar a partir de segunda-feira uma fase de transição. Em que atividades bem específicas, de baixo impacto sanitário serão liberadas, até mesmo pra gente fazer um teste, acompanhar como é a adesão dessas empresas ao protocolo de segurança da saúde, saber como vai funcionar o transporte, se isso vai gerar ou não aglomerações, quais são os riscos. Então é uma fase em que a gente vai poder acompanhar, monitorar e testar a implantação dessa nova retomada de alguns setores bem específicos", afirma.

Decreto municipal

O prefeito, entretanto, garante que um novo decreto de isolamento será publicado nos próximos dias, mantendo restrições parecidas às vivenciadas atualmente, em razão da efetividade da medida no controle e tratamento da Covid-19.  "Não vai ser permitido frequentar lugares públicos, fazer caminhadas ou exercícios em calçadões, ir à praia. A gente vai publicar um decreto, muito possivelmente amanhã ou no final de semana, descrevendo os detalhes desse isolamento social, mas não vai mudar muita coisa em relação ao que a gente tá vivendo atualmente", completa sobre o decreto. 

 

Ceará chega a 37,8 mil casos de Covid-19

Chegou a 2.733 o número de mortes por Covid-19 no Ceará, enquanto os casos confirmados da doença subiram para 37.821. Os dados são da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), informados através da plataforma IntegraSUS, conforme a atualização desta quinta-feira (28). 

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, o que não corresponde necessariamente à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente. 

Retomada da economia: confira lista de serviços 

O governador Camilo Santana apresentou resumo do plano de retomada da atividades econômicas no Estado durante transmissão ao vivo em suas redes sociais nesta quinta-feira (28). Apesar da renovação do decreto de isolamento social, o governo estadual iniciará uma fase de transição na segunda-feira (1º de junho), etapa que servirá de teste para o retorno econômico.

Camilo detalhou que dois critérios principais foram utilizados para definir os  setores que devem retornar primeiro e quais irão ficar para as últimas etapas. Segundo ele, o risco sanitário e a importância socioeconômica foram os fatores determinantes.

"Do dia 1º ao dia 7, serão liberadas algumas atividades, mas tem critérios a serem seguidos. Há uma tendência de estabilização dos casos, principalmente em Fortaleza, mas quero deixar claro que os próximos 7 dias serão avaliado. A Saúde vai avaliar e determinar se é possível prosseguir com as próximas fases ou não", ressaltou o governador.

O chefe do Executivo estadual ainda apelou a empresas e população que sigam as orientações governamentais em cada etapa. "O resultado desse plano depende do compromisso das empresas com seus funcionários e do comportamento da população. Teremos horários de funcionamento diferentes, protocolos a serem seguidos, como a medição da temperatura dos empregados, testagem de amostra dos funcionários, muito critério e rigor para que a gente não precise retroceder", afirmou.

O secretário da Saúde do Estado, Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, Dr. Cabeto, reforçou o pedido.

"Isso não é uma abertura, é uma fase de transição. É preciso responsabilidade, pois vidas estão em jogo. Para que não haja retrocesso, é preciso obediência a toda regra de isolamento social", pontou.

Nesta etapa inicial, que irá durar sete dias, 17 segmentos estão autorizados a retomar parcialmente suas operações. Os percentuais de liberação variam de 0,60%, no caso do setor de tecnologia da informação, a 100% para a cadeia da saúde.

Quase 67 mil empregos poderão retomar suas atividades em todo o Estado, cerca de 11,5% do total. Na Capital, serão 44,8 mil trabalhadores, representando 67% do efetivo de Fortaleza, enquanto no Interior esse número é de 22,1 mil ou 33%.

Camilo ressaltou que, no comércio, apenas o setor ligado a saúde e material de construção poderão reabrir.

Confira a lista de atividades e os percentuais de liberação desta fase de transição:

- Indústria química e correlatos (30%)
Indústria de químicos inorgânicos, plástico, borracha, solventes, celulose e papel

- Artigos de couros e calçados (17,9%)
Fabricação de calçados e produtos de couro

- Indústria metamecânica e afins (28,7%)
Fabricação de ferramentas, máquinas, tubos de aço, usinagem, tornearia e solda

- Saneamento e reciclagem (30%)
Recuperação de materiais

- Energia (20%)
Construção para barragens e estações de energia elétrica, geradores

- Cadeia da construção civil (31%)
Construção de edifícios até 100 operários obra, cadeia produtiva com 30%

- Têxteis e roupas (12,4%)
Indústria têxtil, confecções e de redes

- Comunicação, publicidade e editoração (10,2%)
Impressão de livros, material publicitário, e serviços de acabamento gráfico

- Indústria e serviços de apoio (0,8%)
Indústria de artigos de escritório e manutenção industrial. Cabeleireiros, manicures e barbearias

- Artigos do lar (16,9%)
Fabricação de eletrodomésticos e artigos domésticos

- Agropecuária (12,4%)
Obras de irrigação

- Móveis e madeira (7,9%)
Fabricação de móveis e produtos de madeira

- Tecnologia da informação (0,6%)
Fabricação de equipamentos de informática

- Logística e transporte (10,8%)
Metrofor, transporte rodoviário metropolitano na RMF e manutenção de bicicletas

- Automotiva (1,9%)
Indústria de veículos, de transporte e peças

- Cadeia da saúde (100%)
Comércio médico e ortopédico, óticas, podologia e terapia ocupacional

- Esporte, cultura e lazer (8,1%)
Treinos de atletas de esportes individuais, além dos clubes de futebol participantes da final do Campeonato Cearense

 


Categorias Relacionadas