Covid-19: escolas particulares iniciam novas testagens de profissionais para retomar aulas no dia 3

Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), pelo menos 23 escolas já notificaram casos confirmados e suspeitos de Covid-19

Testagem de profissionais de instituições particulares acontece em sedes de universidades da Capital
Legenda: Testagem de profissionais de instituições particulares acontece em sedes de universidades da Capital
Foto: Wânyffer Monteiro

Pelo menos 1.500 profissionais de escolas particulares da Região de Saúde de Fortaleza devem passar pela testagem de Covid-19, iniciada nesta quarta-feira (28), em quatro instituições de nível superior da Capital. O processo faz parte do protocolo de saúde para o retorno presencial de turmas do 3º ao 8º ano, liberado pelo governador do Estado, Camilo Santana, e ocorrerá na terça-feira (3). 

Segundo o Decreto Estadual, os testes em profissionais devem acontecer até a sexta-feira (30) e, de acordo com a coordenadora de um dos pontos de testagem, Débora Laurentino, os resultados devem sair até a terça-feira (3). Com laudo negativo, o profissional está apto para o retorno presencial nas instituições.

“O teste é o swab, e os resultados vão para as instituições, bem como o profissional pode acessar de casa, informando o CPF. Assim que termina a testagem de cada dia, já levamos as amostras para o laboratório, pro resultado sair o mais rápido possível e conseguirmos esse levantamento até terça, dia 3”, pontua a coordenadora.

As escolas particulares estão seguindo o protocolo do Governo do Estado, segundo Débora. “Se o professor testar positivo, vemos se ele estava dando aula presencial, vemos a quantidade e aluno e fazemos quarentena”, diz.

Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), pelo menos 23 escolas já notificaram casos confirmados e suspeitos de Covid-19, conforme a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa).

De acordo com coordenador da equipe de retorno às aulas do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino (Sinepe), Henrique Soarez, as notificações de casos de Covid-19 em escolas à Sesa significa que as instituições estão cumprindo o protocolo de saúde pré-estabelecido. 

“Ainda existe uma epidemia em Fortaleza. Quando uma escola notifica significa que o local está fazendo o certo. As escolas não são bolhas em que o vírus não entra de jeito nenhum. Então, o protocolo deve ser seguido. Na detecção de um caso em uma turma, a turma deve ser fechada. Já quando há dois casos em turmas diferentes, a escola deve fechar”, aponta. 

Ainda sim, a coordenadora informa que não há programação de uma testagem periódica nos profissionais, “mas acredito que haverá esse planejamento”. “A preocupação é que a gente consiga manter a segurança de alunos e profissionais, seguindo todo protocolo de biossegurança que cada instituição fez e consiga retornar da maneira mais segura”, explica.

Retorno

Professora do 4º ano do ensino fundamental, Euclidia Maria Silvia Colares, considera que a testagem é uma maneira de proteção, além dos cuidados como o uso de máscara. “É uma forma até de valorizar o profissional que está retornando com toda a vulnerabilidade e todos os medos, mas pelo menos é um passo que nos dá um pouco de segurança”, comenta.

“Antes, estávamos só no sistema remoto e agora alguns estão querendo voltar. Nós, como profissionais, entendemos que é uma necessidade da criança para retornar e estar junto. A única esperança é de que isso tudo acabe e a gente possa voltar todos juntos”, diz Euclidia.

Apesar de ainda não estar totalmente seguro, o professor de Educação Física do 5º ao 7º ano, Vandeildo de Sousa Alves, “a escola está nos proporcionando algumas regalias, como o sistema híbrido, com parte dos alunos em casa, e a gente se sente mais seguro”.

Ainda assim, o professor acredita que as aulas poderiam continuar de maneira online. “A gente tem o aumento de casos na cidade e isso de certa forma nos dá um temor. Como estamos já no final do ano letivo, acho que não teria problema em manter o ensino remoto. Temos apenas mais um mês”, afirma.

 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza