Covid-19: Ceará contabiliza 173.882 casos confirmados e 7.668 óbitos pela doença

Os números foram atualizados pela Secretaria da Saúde às 9h16 desta sexta (31)

O Ceará contabiliza 173.882 diagnósticos positivos de Covid-19, com 7.668 mortes em decorrência da enfermidade. Um total de 145.787 pacientes conseguiram se recuperar. A atualização foi realizada pela plataforma IntegraSUS, da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), às 9h16 desta sexta-feira (31).

 

A marca de 160 mil casos foi ultrapassada no último sábado (25). O Estado tem ainda 76.534 casos em investigação e 595 mortes suspeitas. O número de exames feitos nas unidades de saúde na tentativa de identificar o novo coronavírus (SARS-CoV-2) foi de 462.880 até o momento. 

A mortalidade da doença, proporção entre as taxas de casos e mortes, está em 4,4%.

Em Fortaleza, foram identificados 42.176 casos positivos e 3.689 óbitos. Logo depois, em número de confirmações, aparece a cidade de Sobral, com 9.851 diagnósticos, e Juazeiro do Norte, com 8.995 pessoas infectadas. 

Sobral contabiliza 283 mortes pela enfermidade. Em Juazeiro do Norte, no Cariri, 219 pessoas não resistiram à Covid-19. Devido aos altos índices, a cidade prolongou o lockdown, mesmo com o relaxamento do Governo do Estado. O isolamento mais rígido também continua em Crato, Barbalha e Brejo Santo

> Média semanal de óbitos por Covid-19 segue em queda na Capital

Dois terços das famílias cearenses perderam renda na pandemia

Na Região Metropolitana de Fortaleza, Maracanaú registra 5.236 casos e 231 mortes. Em Caucaia, segunda cidade em número de óbitos, foram confirmados 5.063 diagnósticos positivos e 318 mortes. Maranguape concentra 4.077 casos e 106 mortes.

O IntegraSUS aponta que a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) está em 64,08%. Nos leitos e enfermagem, a ocupação é de 39,17%. 

Os números divulgados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detecção da presença do vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.



Redação 02 de Agosto de 2020