Coronavírus: Especialistas tiram dúvidas sobre sexo durante a quarentena

A orientação é para que as relações sexuais sejam praticadas apenas por casais que cumpram distanciamento social na mesma casa

Legenda: Especialistas tiram dúvidas sobre sexo durante período de pandemia do novo coronavírus
Foto: Foto: Gustavo Pellizzon

O período de isolamento social para evitar a transmissão do novo coronavírus levanta questões sobre segurança nas relações sexuais para solteiros e casados. Para responder algumas questões mais frequentes, o Diário do Nordeste conversou com a especialista em educação sexual Zenilce Bruno e a infectologista Terezinha do Menino Jesus. Conforme ambas, casais que estão na mesma casa e sem contato com outras pessoas podem ter relações, "mas o ideal é manter o cuidado". Confira a entrevista completa:

O coronavírus pode ser transmitido por meio do sexo?

Infectologista Terezinha do Menino Jesus - Provavelmente, não. Mesmo o vírus sendo encontrado no semen, ainda não há certeza e estudos sobre essa transmissão. Mas, mesmo que seja possível, esse modo parece não ter relevância no curso da epidemia. É como os encontrados em fezes. Mas ainda não há estudos diretos sobre isso. O modo de transmissão estabelecido é através do contato respiratório, com gotículas, direto e indireto.  

Como manter relações sexuais durante a pandemia?

Infectologista - Se ambos estiverem em quarentena, morarem juntos e estiverem sem sintomas, pode manter a relação sexual normalmente. Agora, se um está doente, não é recomendado essa relação. Ele precisa ficar isolado por, pelo menos, 14 dias até que todos os sintomas tenham desaparecido. É importante lembrar que aquele parceiro (a) que precisa sair nesse período, tem que manter o cuidado de higienização redobrado.

Especialista em Educação Sexual Zenilce Bruno - A sugestão da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia para casais que moram juntos e saem para trabalhar todos os dias, é que durmam em quartos separados e  não tenham nenhuma relação sexual ou contato íntimo, assim como pegar na mão, beijar, abraçar ou acariciar um ao outro durante a quarentena. As regras de aproximação também devem ser evitadas entre os demais familiares e colegas de trabalho.

Como fica a vida sexual de quem não tem parceiro fixo ou quem mora em casas separadas?

Infectologista - As dicas que dei são para os casais que moram na mesma casa. Isolamento social é isolamento social e ele precisa ser cumprido. Se o seu parceiro mora em outro lugar, é necessário usar a criatividade e inventar um sexo por telefone ou por algum outro meio que não seja pessoalmente. Em isolamento social só deve sair de casa para fazer o estritamente necessário, o que, geralmente, não inclui sexo. 

Especialista em Educação Sexual - Para quem se encontra sozinho é possível substituir a relação sexual física por outras alternativas, a exemplo dos namoros por aplicativos na internet. Só não sugerimos  o encontro físico, principalmente por parte daqueles que nunca se viram porque a contaminação do vírus é muito rápida e de uma maneira insistente. 

O beijo está permitido? 

Infectologista - A pessoa infectada, dois dias antes de sentir o primeiro sintoma, pode contaminar. Então, é melhor evitar esse contato de salivas.

Especialista em Educação Sexual - Na convivência diária entre os casais é muito difícil não ocorrer a troca de saliva, seja  por meio de objetos ou mesmo falando. Porém, como eles estão juntos desde o início do confinamento, a gente até diz que na hora da relação podem beijar e abraçar. Mas, em geral, o indicado é que se tenha cuidado com esse contato, pois como tudo é muito novo, não se sabe exatamente como se apresentarão as estatísticas em relação a transmissão do coronavírus.

Existe algum impedimento para o sexo oral ou anal?

Infectologista - Se for com o mesmo parceiro, no mesmo domicílio, eu não vejo problema. 

A masturbação está liberada?

Infectologista - Totalmente liberada. 

E os cuidados com a higiene, como ficam?

Especialista em Educação Sexual - Todos os acessórios que serão utilizados na vida sexual devem ser muito bem higienizados com água e sabão antes do uso. Em alguns casos é necessário fazer a limpeza com o álcool gel ou mesmo o álcool 70%. Depois do procedimento deixe o produto secar. Isso evita agressão ou ferimentos nas partes íntimas e no restante do corpo. O uso da camisinha também é indicado no caso do acessório ser de penetração. A higiene do corpo e dos objetos deve ser repetida após o ato sexual, pois a limpeza é de fundamental importância.

É possível ter prazer para além do sexo físico?

Especialista em Educação Sexual  - Sim. Nesse período de distanciamento social, nem sempre o contato físico é o mais importante. A colaboração,  a atenção e a dedicação tem um efeito muito bom para qualquer casal. Para quem está namorando, por exemplo, uma ligação, uma chamada de vídeo, um carinho, uma troca de comunicação é muito válido. 

E como a tecnologia pode ajudar nesta hora?

Especialista em Educação Sexual - Tem recursos que permitem assistir a shows, filmes, bem como estudar e ler juntos. Além disso, tem os jogos intersexuais que podem ser conectados à distância. Enfim, usar a criatividade nesse momento é fundamental para manter o amor por si, o amor pelo outro e de não ser contaminado e não contaminar quem o ama.

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza

Assuntos Relacionados