Com baixa demanda, transporte público sofre mudanças na Capital

O fluxo de passageiros nos ônibus está em somente 20%. Já nos veículos alternativos, este índice caiu ainda mais, com procura de apenas 10% do normal, conforme a Cooperativa dos Transportadores Autônomos do Estado do Ceará

Legenda: A demanda pelos ônibus caiu 80% e, nos transportes alternativos, a redução foi de 90%
Foto: FOTO: NATINHO RODRIGUES

Com a nova realidade do isolamento social causado pela pandemia do coronavírus, o transporte público de Fortaleza teve que se readequar a uma demanda menor. No transporte alternativo, a frota que circula nas ruas foi reduzida diante da baixa procura e, nos coletivos, mesmo também apresentando queda de passageiros, foram dispostos veículos extras nos terminais de integração para serem utilizados em linhas que apresentem maior demanda. O objetivo desta operação, conduzida pela Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), através da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), é permitir maior distanciamento entre os passageiros dentro do transporte coletivo, como medida de prevenção ao novo coronavírus.

Segundo a empresa, os terminais com maior fluxo de passageiros têm sido nos bairros Parangaba e Siqueira. A Etufor afirma, em nota, que avalia a oferta da frota "a partir da demanda dos usuários que, diariamente, tem chegado a aproximadamente 20% dos passageiros em dia útil em toda a cidade". Ainda conforme a Etufor, "não há previsão de alteração da operação". A quantidade total de ônibus em circulação no momento, porém, não foi informada pela Empresa de Transporte.

Frota reduzida

Já no serviço de transporte alternativo, a redução é mais evidente e impacta o número da frota. Atualmente, 60 veículos estão circulando nas ruas de Fortaleza por dia, de acordo com a Cooperativa dos Transportadores Autônomos do Estado do Ceará (Cootraps). O número equivale a apenas 25% da frota, que possui, no total, 254 carros à disposição. A redução, explica a Cootraps, acontece progressivamente desde o anúncio das medidas de contenção do novo coronavírus no Ceará, que acarretou na diminuição do fluxo de passageiros na Capital cearense. "Nós estamos rodando no horário de domingo. Geralmente, atendemos 70 mil passageiros, mas a demanda caiu por volta de 90%", esclarece Pedro Henrique Alcino, gerente de projetos da Cooperativa.

Apesar da diminuição no número de carros em circulação, não foi cogitada a paralisação total da frota. "Nós temos um compromisso com a população, principalmente quem está trabalhando com serviços essenciais como os profissionais da saúde e do comércio", assegura Henrique.

Mudanças

Dentro do pacote de mudanças realizadas pela Secretaria de Conservação e Serviços Públicos, está o embarque e desembarque dos ônibus na Avenida Bezerra de Menezes, que agora passa a ser realizado somente nos abrigos perto do canteiro central. Na Avenida Aguanambi, os veículos continuam operando nas estações diariamente e, a partir de hoje (28), passam a adotar o sistema de autoatendimento.


Categorias Relacionadas