Centro Cultural Banco do Nordeste cancela programação e demite funcionários

A medida atingiu as unidades de Fortaleza e Juazeiro do Norte, no Ceará, e de Sousa, na Paraíba

Legenda: Centro Cultural Banco do Nordeste cancela programações em três unidades, sem previsão de retorno
Foto: Erika Fonseca

As programações do Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB) foram canceladas sem previsão de retorno, nas unidades de Fortaleza e Juazeiro do Norte, no Ceará, e de Sousa, na Paraíba. Os artistas parceiros dos equipamentos foram comunicados nesta terça-feira (25), por telefone, sobre o cancelamento dos projetos que realizariam nos próximos meses. Fontes ouvidas pelo Sistema Verdes Mares confirmaram demissões. O CCBNB, por sua vez, afirma que a medida "não implica desligamento de funcionários". 

O Centro Cultural informou, em nota, que está reestruturando o modelo de atuação, buscando modernizar a estratégia de funcionamento e ampliar parcerias com outras instituições. Para os artistas, a instituição justificou como um contingenciamento dos recursos. 

Pelo menos quatro funcionários foram demitidos na unidade de Juazeiro do Norte, conforme fontes ouvidas pelo Sistema Verdes Mares. Três deles são funcionários da biblioteca e um é diagramador. Há ainda prestadores de serviços que foram informados da não renovação dos contratos e devem, portanto, serem desligados das funções no fim de julho. 

Preocupação

O secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba, demonstrou preocupação com a medida e diz que vai propor, em reunião com outros gestores de cultura do Nordeste, uma carta do presidente do BNB com as devidas explicações. "O que está em questão não é apenas o fechamento, seja ele provisório ou não, é uma política de cultura do BNB. O BNB estabeleceu nos últimos quinze anos uma política de fomento à cultura do Nordeste muito forte. Sobretudo no semiárido, nas capitais da região, e depois como centros culturais".

Artistas e produtores culturais que tinham projetos firmados com o CCBNB também lamentam a decisão. "Todo cancelamento é uma medida muito grave, muito prejudicial pra nossa cena musical e cultura como um todo. Cancelar shows já divulgados pro público, que seriam os de julho, é algo que é desrespeitoso com os músicos, com o público, com a sociedade", diz o idealizador do projeto Jazz em Cena, promovido há quatro anos pelo CCBNB, Dawlton Moura. 

 


Categorias Relacionadas


Redação 12 de Julho de 2020