Cearenses ficam retidos em Lisboa após cruzeiro interromper viagem 

O navio precisou parar em Portugal no último domingo (22) após o fechamento de um porto por ocasião do coronavírus

Legenda: Débora Coutinho e Sebastião Moraes estão navio parado em Portugal
Foto: FOTO: ARQUIVO PESSOAL

O destino era Barcelona. Até o desembarque, o cruzeiro marítimo adquirido pelos cearenses Sebastião Moraes, 60, e Débora Coutinho, 53, contemplava Rio de Janeiro, Maceió e a Europa. A “viagem dos sonhos”, que começou no último 10, no entanto, foi frustrada em Portugal, no domingo (22). Os passageiros não puderam seguir para a última cidade porque a Espanha fechou o porto em decorrência da pandemia de coronavírus. O casal voltaria para Fortaleza no próximo dia 31, mas o voo foi cancelado. 

“Nós estamos parados em Lisboa esperando uma solução para o nosso retorno. Os portugueses não nos deixam descer do navio sem a passagem de volta, que foi cancelada pela TAP. Só mediante intervenção do governo português ou brasileiro para nos tirar daqui”, sugere o corretor de imóveis Sebastião Moraes. 

A situação tem deixado o casal ainda mais apreensivo porque um dos hóspedes do navio teve testagem positiva para Covid-19. A confirmação da doença foi divulgada nesta segunda-feira (23) pela tripulação após o Serviço Nacional de Saúde de Portugal expedir o resultado do exame. Trata-se de um homem português que não apresentou sintomas da doença. 

Volta

Em nota ao Diário do Nordeste, a MSC Cruzeiros, que opera o navio MSC Fantasia, informou que todos os passageiros retornarão ao Brasil após as autoridades portuguesas realizarem as verificações habituais e controles sanitários. "Considerando as precauções extras que todos os países estão aplicando em suas fronteiras para combater a disseminação do Covid-19, esse processo pode demorar mais que o normal", explica.  

Contudo, Sebastião Moraes afirma que as informações não chegam aos passageiros do navio. “Estamos realmente muito apreensivos. Há uma tensão muito grande aqui. Todo mundo está sem saber o que vai acontecer, quando vai voltar e ninguém dá um posicionamento oficial”, pondera o corretor, completando que os serviços básicos de hospedagem estão funcionando sem problemas. 

A empresa responsável pelo serviço citou ainda que está organizando os voos para trazer os passageiros de volta ao Brasil “com previsão para os próximos dias”. Segundo a companhia, os hóspedes receberão uma carta de crédito no valor do pacote do cruzeiro, que poderá ser resgatada em um cruzeiro futuro até o final de 2021, assim como um crédito a bordo de 200 euros ou dólares por cabine. 

Enquanto as respostas concretas não chegam, o corretor de imóveis lamenta o episódio. “Era nossa viagem dos sonhos, porque foi muito planejada. O que a gente quer agora é conseguir voltar para nossa casa”, apela. 

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza


Redação 20 de Outubro de 2020