Ceará tem cerca de 300 leitos hospitalares ocupados por pacientes da Covid-19

O número de internações fica no patamar de 300 diariamente, e as altas, em torno de 100 por dia, segundo a Sesa.

Quando você pesquisa muito, notifica muito, adensa muito o dado, esse perfil que aparentemente é pior, essa densidade por 100 mil habitantes, essa prevalência por 100 mil habitantes, não necessariamente é pior, o reconhecimento disso pode ser inclusive melhor, pode ser que a agente esteja exergando melhor nossa curva, do que, por exemplo, no caso da Itália, que percebeu 18 mortes com poucos casos, na semana seguinte, percebeu 100, depois, 400, depois 500 mortes/dia e não viram essa curva ascender de maneira adequada e de repente foram surpreendidos com essa curva íngreme"A informação foi repassada em coletiva de imprensa na noite desta terça-feira (7) com a presença do secretário da Saúde, Carlos Roberto Martins, o Dr. Cabeto. 

Esse número de internados permanece praticamente o mesmo a cada dia, e há, contudo, cerca de cem altas médicas diárias para pacientes já tratados. "Esses números vão crescer, então precisaremos estar preparados para esta demanda", pontua Dr. Cabeto.

O Ceará contabiliza, até as 17h35  desta terça-feira (7), 1.188 casos do novo coronavírus e 40 mortes

Desse total, Fortaleza apresenta 1.053 ocorrências, espalhadas por 90% dos bairros da capital. "O nosso desafio atualmente é ter uma taxa de mortalidade baixa e dar acesso para a população reconhecer casos graves precocemente", coloca o secretário. 

Dr. Cabeto declarou ainda que, caso o Ceará não adiantasse o preparo para o novo coronavírus com a ampliação de leitos, aquisição de equipamentos e medidas de isolamento, o sistema estadual de saúde poderia colapsar até o fim de abril. "Se nós vamos dar conta dessa necessidade, é uma pergunta muito difícil. É preciso ser honesto com isso. Nós vimos nações no mundo inteiro, países muito sólidos, que tiveram seus sistemas esgotados. É necessário que nossas estratégias funcionem", assevera. 

 

Maior incidência do País

Fortaleza é a cidade do Brasil com maior incidência de Covid-19 por número de habitantes, segundo o Ministério da Saúde (MS). Os dados foram divulgados em coletiva de imprensa nesta terça-feira (7). A capital cearense ultrapassou mil casos da doença nesta terça, chegando a 1.053, conforme dados do IntegraSUS, plataforma digital da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

O coeficiente de incidência da doença, uma métrica adotada pelo MS para homogeneizar os número por cidades, padronizando o levantamento por 100 mil habitantes, é de 34,7 em Fortaleza. Índice maior do que o registrado em São Paulo, maior capital do País, que ficou com incidência de 30,6 por 100 mil habitantes.  

Durante a coletiva, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, chegou a citar Fortaleza como uma das capitais com a situação mais crítica com relação ao novo coronavírus. O ministro comentou que “se tivesse em Fortaleza estaria extremamente preocupado”, ao responder questionamento sobre a flexibilização do isolamento social proposto pelo Ministério em coletiva anterior, com relação aos locais em que o sistema de saúde não está sobrecarregado.  

Cabeto ressaltou na coletiva desta terça que essa incidência se deve a capacidade de o Ceará notificar casos. "Quando você pesquisa muito, notifica muito, adensa muito o dado, esse perfil que aparentemente é pior, essa densidade por 100 mil habitantes não necessariamente é pior, o reconhecimento disso pode ser inclusive melhor, pode ser que a agente esteja exergando melhor nossa curva, do que, por exemplo, no caso da Itália, que percebeu 18 mortes com poucos casos, na semana seguinte, percebeu 100, depois, 400, depois 500 mortes/dia, de repente foram surpreendidos com essa curva íngreme", disse.

 

Vale-gás

O governador Camilo Santana anunciou mais uma medida de apoio às famílias de baixa renda no Ceará para amenizar os efeitos da crise do novo coronavírus. O Governo deverá distribuir 200 mil botijões de gás para população. A ação é uma parceria com a empresa cearense Nacional Gás.

A informação foi confirmada durante transmissão ao vivo pelo Facebook nesta terça-feira (7).

Os botijões de gás serão comprados a preço de custo pelo Estado, que irá distribuir vales para que as pessoas possam adquirir as unidades.

As regras de enquadramento para receber o benefício, no entanto, ainda deverão ser detalhadas pelo Estado.


Categorias Relacionadas