Ceará registra 5 mortes de enfermeiros com Covid-19 e tem 2º maior número de infectados no Nordeste

Conselho dos profissionais alerta sobre a necessidade de otimizar o uso de Equipamentos de Proteção Individual

Legenda: Mais 211 profissionais foram afastados com suspeita ou confirmação de Covid-19, foram 348 notificações nesse período. Além disso, mais dois profissionais da linha de frente faleceram com a doença
Foto: Camila Lima

Um levantamento nacional do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) revelou que, até agora, o Ceará registrou cinco mortes de profissionais da Enfermagem contaminados com o novo coronavírus e 119 casos confirmados da doença. Além disso, 564 enfermeiros estão afastados devido aos sintomas da Covid-19 e aguardam resultado dos exames. No Nordeste, o Ceará é o 2º com mais confirmações e fica atrás apenas da Bahia, onde há 144 casos confirmados da Covid-19.

Entre os casos confirmados, 115 profissionais estão em quarentena domiciliar e os outros quatro enfermeiros estão hospitalizados devido à doença, como registra a plataforma Observatório da Enfermagem, atualizada a cada 24h pelos profissionais responsáveis das unidades hospitalares.

Os números em destaque estão relacionados às condições em que os profissionais da saúde enfrentam no cotidiano de combate à pandemia, como analisa Ana Paula Brandão, presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Ceará (Coren). “Nós acreditamos que o fato de estarmos como o primeiro em mais número de casos seja pelos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) ausentes, além da (boa) quantidade de testes”, pondera.

Entre as consequências dos afastamentos dos enfermeiros está a diminuição da oferta de profissionais com experiência. “O que preocupa muito é que esses profissionais que estão sendo afastados hoje são os que detém a maior expertise no cuidado da terapia intensiva. A maioria tem especializações e estudos no atendimento ao paciente que precisa de cuidados intensivos”, acrescenta Ana Paula.

Somando os casos confirmados e suspeitos, o Ceará é o estado mais atingido da Região com 689 enfermeiros monitorados, seguido por Pernambuco, onde são 428 casos e Bahia com 389 profissionais. Em relação aos óbitos, o Estado está em 2º com cinco mortes, atrás de Pernambuco onde foram sete óbitos. Bahia, Maranhão, Paraíba e Rio Grande do Norte tiveram um morte em cada. Ainda são analisadas dois óbitos no Nordeste para a confirmação da doença.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informou, por meio de nota, que adota todas as recomendações do Ministério da Saúde (MS) na prevenção e controle da Covid-19 entre os seus profissionais da saúde. A Pasta também acrescentou que "as medidas vão desde o fornecimento dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), testes rápidos para diagnóstico da doença, apoio psicológico e vacinação contra gripe H1N1".

Foram notificados 73 afastamentos de profissionais de enfermagem por Covid-19, sendo 12 casos confirmados e um óbito, da rede pública administrada pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). A Secretaria afirmou, por nota, que os afastamentos não atrapalham o atendimento, além de ressaltar a compra de 270 toneladas de EPI para atender as unidades hospitalares com referência no atendimento a casos de Covid-19. Os materiais são distribuídos para todos os municípios.

No Brasil

Os dados nacionais mostram que os estados com maior número de casos de infecção e suspeita começam por São Paulo (2.732), Rio de Janeiro (2.527), Santa Catarina (740), Ceará (689) e Pernambuco (428). Foram notificadas 88 mortes no país, com taxa de letalidade 2,83%, e os estados com mais registros também iniciam por São Paulo (26), Rio de Janeiro (24), Pernambuco (7), Amazonas (7), Ceará (5) e Paraíba (3).

O país soma 10.081 casos de profissionais da enfermagem acompanhados e, assim, 9.788 enfermeiros seguem de quarentena domiciliar e 215 precisam de atendimento hospitalar, conforme a plataforma Observatório da Enfermagem.
 



Redação 03 de Agosto de 2020