CE tem 23,7 mil casos de Covid-19 e 3,6 mil recuperados em 7 dias

Dados disponíveis na plataforma IntegraSUS apontam que, em uma semana, Secretaria da Saúde contabilizou quase 40% de todas as testagens positivas já realizadas. Ontem, Estado passou dos 60 mil casos e das 3,9 mil mortes

Legenda: José Eduardo Araújo foi o paciente número 800 a deixar o Hospital do PV após internação por Covid-19
Foto: José Leomar

Na semana em que o Ceará bateu recordes de registros de casos confirmados e óbitos provocados pela Covid-19 em intervalos de 24 horas, o Estado contabilizou 38,2% de todos os casos com testagem positiva desde o início da pandemia, em meados do mês de março deste ano. Ao mesmo tempo, o número de pacientes recuperados, neste período, foi de 3,6 mil.

Em sete dias, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) confirmou 23.781 casos da doença. O número foi puxado para cima em razão do mutirão realizado pela Pasta estadual, que apresentou, no último sábado (30), mais de 9 mil testes positivos para a nova infecção.

Já o dia 2 de maio foi o que mais apresentou inclusões de óbitos provocados pelo novo coronavírus, de acordo com a Sesa. Foram 316 registros acrescentados à plataforma IntegraSUS. Contudo, nem todos os falecimentos ocorreram nesse dia.

Atualmente, o Estado do Ceará já contabiliza, ao todo, 62.176 casos confirmados da Covid-19, dos quais 3.907 evoluíram para óbito.

No Brasil, o Ceará é o terceiro estado com maior número para as duas variáveis.

Recuperados

Ao passo que os números das contaminações crescem, o de recuperados também segue em passos largos. Na última semana, conforme o IntegraSUS, 3.696 pessoas se recuperaram da doença provocada pelo Sars-CoV-2. Nessa sexta-feira (5), inclusive, o hospital de campanha montado no Estádio Presidente Vargas (PV) deu a sua 800ª alta hospitalar.

"Para mim, é como se fosse um segundo aniversário. É um momento inexplicável. Pensei que não fosse sobreviver. Sou muito grato a Deus e a equipe médica", diz o paciente José Eduardo Araújo Mariano, de 43 anos, que saiu da unidade hospitalar gerida pelaPrefeitura de Fortaleza após 18 dias internado.

Antes de chegar ao PV, Eduardo já havia passado pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Cristo Redentor e o Instituto Dr. José Frota (IJF). Com hipertensão e diabetes, o que o coloca como grupo de risco da pandemia, seu maior medo era não estar presente durante o crescimento da filha mais nova, de apenas três meses. "Já tenho filhos grandes e não consegui acompanhar e dar a atenção que deveria. Não queria que acontecesse o mesmo com ela", ressalta o pai.

"Todos com saúde"

Já a paciente que foi liberada pouco antes de Eduardo chama-se Nilza Cavalcante, de 95 anos. Além dela, outros 16 familiares foram infectados pela doença, dos quais cinco precisaram de cuidados hospitalares. Segundo a sobrinha Raíssa Alencar, felizmente, agora todos estão com saúde. "Foram dias de luta, mas hoje está todo mundo bem. A gente se preocupava por conta da idade dela", narra.

Nilza e Eduardo são apenas dois casos dos 41.243 pacientes que estão curados ou receberam alta médica no Ceará. Número que tende a crescer, segundo gestores da Saúde, de acordo com os tratamentos hospitalares disponibilizados pelas unidades de tratamento distribuídas no Estado.



Redação 06 de Julho de 2020