Cachorro resgatado com vida dos escombros do Edifício Andrea morre em clínica veterinária

Lucky, da raça dachshund, sofria de problemas cardíacos e tinha hérnia de disco, segundo a dona dele, a analista contábil Kátia Nogueira

Legenda: Lucky tinha 10 anos de idade e morreu dois dias depois de ser retirado das ruínas do Edifício Andrea
Foto: Arquivo pessoal

Lucky, cachorro da raça dachshund, que foi resgatado com vida pelo Corpo de Bombeiros dos escombros do Edifício Andrea, não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada desta sexta-feira (18), em uma clínica veterinária onde recebia atendimento. O animal passou cerca de cinco horas soterrado nos entulho do prédio que desabou na manhã da última terça-feira (15), em Fortaleza, e havia sido retirado no mesmo dia da queda.

De acordo com Kátia Nogueira, tutora do cachorro, Lucky tinha 10 anos, sofria de problemas cardíacos e tinha hérnia de disco. A analista contábil morava no apartamento 701 do Edifício Andrea com o esposo, a filha e o cachorro. Os pais dela moravam na cobertura do prédio, mas não estavam em casa no dia da tragédia.

"Ele já era idoso e sofria de problemas no coração e tinha hérnia de disco. Não conseguiu resistir ao estresse que passou. Ficou sufocado, passou horas soterrado", relata.

Em entrevista ao Sistema Verdes Mares, Kátia contou que, após os bombeiros resgatar o cachorro dos escombros do edifício, ela o levou para um clínica veterinária com um ferimento na cabeça. Segundo Kátia, após atendimento, Lucky recebeu alta na quinta-feira (17), e estava "aparentemente bem".

"Fui buscá-lo ontem na clínica e ele estava aparentemente bem. Aí, a gente foi para uma missa e depois ele começou a passar mal. Levamos ele de volta para a clínica, mas ele não resistiu", conta.

Vídeos mostram operário quebrando coluna do Edifício Andrea

Imagens de câmeras de segurança internas do Edifício Andrea, prédio de sete andares que desabou na terça-feira (15), no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, mostram operário da empresa contratada para realizar a reforma, quebrando as colunas de sustentação momentos antes da queda.

O vídeo, obtido pelo Sistema Verdes Mares, mostra dois engenheiros, a síndica do prédio, o porteiro e um operário, que quebrava colunas dos prédio. As imagens contradizem o depoimento do engenheiro, que citou à polícia que as obras ainda iriam começar. Todos da cena sobreviveram, mas a síndica ainda está desaparecida.

Você tem interesse em receber mais conteúdo da cidade de Fortaleza?


Redação 23 de Setembro de 2020