BRT Aguanambi: confira novas linhas de ônibus que operam no corredor expresso

Quatro linhas circulam, atualmente, nas estações distribuídas ao longo da avenida, número que deve aumentar para nove; passageiros se adaptam a mudanças

Legenda: Quatro linhas operam com embarque e desembarque nas estações do BRT da Avenida Aguanambi
Foto: FOTO: NÍCOLAS PAULINO

Usuários das linhas 600 - Messejana/Frei Cirilo/Expresso e 650 - Messejana/Centro/BR Nova/Expresso, integrantes do transporte público de Fortaleza, devem ficar atentos: desde sábado (16), elas passaram a operar nas quatro estações do BRT da Avenida Aguanambi. Ao todo, quatro linhas circulam pelo Corredor Expresso Messejana/Centro.

Já operavam para embarque e desembarque no canteiro central os ônibus da 026 - Antônio Bezerra/Messejana e da 226 - Expresso Antônio Bezerra/Messejana. Ao todo, "quando o período de transição for finalizado", segundo a Etufor, mais cinco linhas deverão ser transferidas para o BRT: 609 - Cid. dos Funcionários/Sítio São José, 649 - Cid. dos Funcionários/Sítio São José/CMR, 660 - Conjunto Palmeiras/Centro, 073 - Siqueira/Praia de Iracema e 078 - Siqueira/Mucuripe (no fim de semana).

Nesta segunda-feira (18), primeiro dia útil após a mudança na parada dos veículos, passageiros relataram dificuldades na adaptação. Alguns sequer sabiam que os ônibus haviam mudado de operação. "Se não tivessem me falado, eu ia ficar aqui desse lado até meio dia. Agora, vou passar a passarela pra ir ao outro lado", disse a copeira Eliziane Alves, que aguardava, em vão, por um ônibus da linha 650, no sentido Centro/Messejana.

R$ 105,7 milhões
investidos na implantação do BRT da Aguanambi, incluindo requalificação da via. Nove linhas devem circular nas estações, enquanto 16 permanecem com embarque e desembarque nas calçadas.

Questionado sobre a real necessidade de um equipamento que não contemplará sequer metade das linhas da avenida, o vice-presidente da Etufor, Antônio Ferreira, rebate. "Quando se implanta uma reestruturação de transporte com BRT, o ideal é que fique só uma linha troncal expressa. Ficarão 16 na calçada porque estamos na transição. Aos poucos, serão desativadas, à medida em que a Prefeitura vai implantando novos BRTs. O sistema convencional vai deixar de existir", garante.

Ferreira informa que "a cada sábado, serão implementadas mais duas linhas", procedimento que requer monitoramento. "Uma vez que a operação sai de junto à calçada para o BRT no canteiro central, tem (necessidade de) todo um ensinamento para os próprios motoristas, para operarem nas estações", ressalta.

Ao todo,  71 ônibus por hora e mais de 100 mil passageiros por dia devem compor o fluxo nos dois sentidos da Avenida Aguanambi. A velocidade média comercial da via, conforme a Etufor, já dobrou com o BRT, passando de 12km/h para 24km/h.