Agentes da AMC vão trabalhar com coletes à prova de bala

A Prefeitura de Fortaleza abriu licitação para compra de 140 equipamentos de proteção. Os agentes de trânsito "estão sujeitos à situações que os colocam em risco a segurança pessoal", segundo o órgão de trânsito

Os agentes da Autarquia Municipal de Trânsito (AMC) vão trabalhar com coletes à prova de bala. A Prefeitura de Fortaleza abriu uma licitação para a compra de 140 coletes de proteção balística. A aquisição, no valor de  R$ 189.750, tem como objetivo, segundo o órgão fiscalizador, garantir as "condições mínimas de segurança" durante a atuação dos agentes de trânsito.

A justificativa da AMC é que seus agentes "estão sujeitos à situações que os colocam em risco a segurança pessoal". O superintendente da AMC, Arcelino Lima, explica que "esse tipo de equipamento vai ser utilizado somente pelos agentes que estarão trabalhando em blitz, em abordagens e nos locais aonde o índice de violência é historicamente elevado". Segundo ele, a quantidade solicitada inclui equipamentos reservas.

A gente tem um procedimento de fazer blitz, juntamente com a Polícia Rodoviária e com a Guarda Municipal, em bairros onde os índices de violência já são acima do normal. E nesses bairros, que têm também acidente de trânsito, há muita blitz e abordagem dos condutores, e é para esse tipo de situação que esses equipamentos estão sendo adquiridos. Não é para todo agente de trânsito andar de colete, não.

O equipamento requerido na licitação, de proteção nível III A, é resistente a armas como pistolas 9 milímetros e Magnum .44, que possuem impacto com velocidade média de 427 metros por segundo. A demanda prevê 11 coletes "preferencialmente femininos" e os outros 129 acessórios do tipo masculino.


Categorias Relacionadas