Zé Teodoro chega ao Ferroviário respaldado pelos resultados locais

Após a demissão de Marcelo Veiga, o novo comandante é anunciado com histórico vitorioso por Ceará e Fortaleza, além de experiência em mais de 30 clubes na carreira. A missão é remontar o time e vencer a Taça Fares Lopes

Legenda: O pontapé do trabalho começa nesta sexta (20), com atividade na Vila Olímpica Elzir Cabral
Foto: Foto: Kid Junior / SVM

Uma temporada, quatro comandos. Mais uma vez, o Ferroviário precisa reiniciar o ciclo em 2019. Novamente, em meio a uma competição e pressionado por resultado: classificação para a Copa do Brasil. Após passar por Marcelo Vilar, Leandro Campos e Marcelo Veiga, é Zé Teodoro quem arca com a missão de fechar o ano coral com o título, agora da Taça Fares Lopes.

O pontapé do trabalho começa hoje, com atividade na Vila Olímpica Elzir Cabral, na Barra do Ceará. A vantagem diante dos outros candidatos ao posto é a identificação do treinador com o futebol cearense, mais precisamente, por trabalhos desenvolvidos em Ceará e Fortaleza.

O primeiro feito ocorreu em 2006, quando o Vovô faturou o Campeonato Cearense e impediu o tetra leonino. Soberano e contando com grandes exibições de Aleluia, Arlindo Maracanã e Vinicius, a equipe venceu os dois duelos da finalíssima por 1 a 0. A história no Vovô ainda ganharia mais um capítulo dois anos depois, mas sem destaque durante uma Série B que resultou no desligamento do comandante antes da última rodada.

Natural de Goiânia, o treinador ainda voltou a encontrar refúgio no Estado em 2010, agora no Fortaleza. A trajetória foi marcada pela mesma conquista que havia tirado outrora. Em uma campanha rodeada por reviravoltas, o Leão acumulou a reação histórica do empate em 4 a 4 com o Guarany de Sobral, além de vencer, nos pênaltis, o arquirrival alvinegro e alcançar a 4ª taça consecutiva para o clube.

Títulos emblemáticos e que entram na galeria de troféus de uma carreira iniciada dentro de campo. Como jogador, brilhou na lateral direita, o que lhes rendeu até convocações para a Seleção Brasileira, em que soma um Sul-Americano de Juniores em 1980. Depois, pelo Goiás, venceu o Campeonato Goiano três vezes (1981, 1982 e 1985). A ascensão nacional mesmo veio no São Paulo, com taças paulistas (1985, 1987, 1989 e 1991) e Brasileirões (1986 e 1991).

Aos 55 anos, traz na bagagem a experiência de ter dirigido mais de 30 clubes. Além do solo alencarino, foi campeão em Pernambuco, com estaduais por Náutico (2004) e Santa Cruz (2011 e 2012).

Missão de recuperação

Ao aceitar a proposta do Tubarão da Barra, Zé Teodoro coloca em xeque projeto de reabilitação no mercado futebolístico. Chegou ao clube após seis meses parado, desde a demissão no Joinville em março - aproveitamento de 33,33% em 12 jogos (duas vitórias, seis empates e quatro derrotas).

A situação é emergencial, pois se classificar para a Copa do Brasil de 2020 é prioridade máxima da diretoria coral, sendo a taça Fares Lopes o único caminho disponível. Atuando com elenco remanescente da Série C do Brasileiro, que sofreu 12 baixas desde a eliminação do torneio, o Ferroviário está apenas em 5ª na tabela, com sete pontos.

Para a remontagem da plantel, o Ferrão trouxe seis novas peças: os atacantes Galego, Tássio e Yago; o volante Natan; o lateral-direito Luís Roberto e o lateral-esquerdo Acácio. O time volta a campo diante do Guarany de Sobral, no sábado (21), às 16 horas, no Estádio do Junco. Até o fim da 1ª fase, encara Floresta e Caucaia.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?