Zé Teodoro cai e Givanildo pede alto

Legenda:
Foto:
O treinador Zé Teodoro já não comanda mais o Ceará. O empate sem gols diante do CRB, no último sábado, foi a “gota d´água” para a sua queda. O primeiro nome cogitado para substituí-lo foi o de Givanildo Oliveira, que deixou há poucos dias o Atlético/PR. No entanto, sua pedida inicial, de R$ 80 mil mensais - afora o restante da comissão técnica -, assustou os dirigentes do Alvinegro. Mas, em Curitiba, onde se encontra, Givanildo disse que ainda pode acertar até o meio-dia de hoje.

NÃO VOLTAM - Edinho Nazaré, Luís Carlos Martins e Roberval Davino são nomes cogitados caso não se confirme o de Givanildo. O presidente Eugênio Rabelo frisou que, apesar da queda de Zé Teodoro, não vai reintegrar os quatro jogadores afastados.

Segundo ele, além dos motivos que levaram ao afastamento, “alguns dos punidos e seus empresários e procuradores estavam no último sábado no Castelão e comemoraram o empate com amargor de derrota do Ceará”.

REUNIÕES - O dia de ontem foi de reuniões entre funcionários e dirigentes do Vozão. Antes de qualquer decisão sobre a saída de Zé Teodoro, o patrocinador maior do clube, João Rabelo, pediu respeito ao então treinador do Alvinegro, “pois se trata de um homem íntegro e trabalhador, a quem seremos grato sempre, pois nos deu um título que ninguém acreditava. Não adivinhamos o futuro e, quem sabe, ele poderá estar conosco numa próxima ocasião”.

SEM INTERINO - O objetivo da direção do Ceará é anunciar o mais rápido possível o nome do novo técnico, até mesmo para motivar o torcedor a comparecer ao jogo contra o Sport, no próximo sábado, às 16 horas, no Estádio Castelão. Daí não haver a disposição de colocar alguém interinamente.

Hoje pela manhã, o elenco será recebido pelo auxiliar de preparação física Djalma Neto e pelo preparador de goleiros Itamar Rodrigues, enquanto se providencia a contratação do novo técnico.
Quero receber conteúdos exclusivos de esporte