Visando a Série A, Leão busca reforços no futebol sul-americano

O Fortaleza corre contra o tempo para conseguir reforços para o restante da temporada. E está buscando jogadores nos vizinhos sul-americanos. Um dos focos seria o futebol argentino, que está parado

Visando a Série A do Campeonato Brasileiro, pela qual estreia no sábado (8), o Fortaleza está em busca de reforços. O técnico Rogério Ceni já externou a necessidade de reforçar o elenco e a diretoria abriu o leque de observação para o mercado sul-americano.

Embora não confirme, o clube sondou dois jogadores argentinos, o volante Lucas Romero, do Independiente, e o atacante Franco Frangapane, do Talleres. A ideia é que ambos venham por empréstimo dos times argentinos.

O Leão busca agir rápido, já que o clube tem até o domingo (9) para inscrever jogadores, data-limite da 1ª janela de transferências internacionais. Caso perca o prazo, apenas no dia 13 de outubro será possível inscrever reforços vindos de fora do país.

Lucas Romero é volante do Independiente e enfrentou o Fortaleza este ano pela 1ª fase da Copa Sul-Americana. Ele tem contrato com o clube de Avellaneda até 2023 e o Leão tentaria um empréstimo.

Já o atacante Franco Frangapane está no Talleres e tem contrato até 2022. Ele é baixinho e joga nos extremos do ataque.

Como o futebol argentino está parado e sem previsão de retorno, devido à pandemia do novo coronavírus, o Tricolor de Aço espera negociar um empréstimo.

O diretor de futebol do Fortaleza, Daniel de Paula Pessoa, admitiu que o clube procura jogadores sul-americanos, embora não confirme as negociações com os dois.

"Estamos procurando jogadores em todo o mercado. É ampla a nossa rede de dados, de pesquisa. Tanto é amplo que desde que nós estamos no departamento de futebol, já passaram quatro gringos, Germán Pacheco, Santiago Romero, Quintero e Mariano Vázquez. É um mercado que estamos sempre buscando, mas não confirmo as negociações", disse em entrevista ao Diário do Nordeste.

Entraves

Sobre Lucas Romero, um dos jogadores especulados, Daniel afirmou ser uma contratação difícil, embora ele esteja no radar do clube por ser um grande jogador.

"O Lucas Romero é um jogador que nem o Cruzeiro conseguiu trazer, é um jogador caríssimo. Se eu disser que ele nunca fez parte do radar do Fortaleza para contratação, estarei mentindo, mas na atual situação é um jogador caríssimo".

Em seguida, Daniel esclareceu que as negociações no mercado sul-americano são difíceis pelos jogadores ganharem em dólar, moeda americana, que na cotação atual vale 5,32 vezes mais do que o real, moeda brasileira.

"Todos eles ganham em dólar. Se um jogador ganha o equivalente a 20 mil dólares, ele chega aqui para ganhar 100 mil reais. É um valor muito alto. São negociações difíceis de acontecer".

Caso as negociações com os argentinos não prossigam, o diretor afirmou que as buscas por reforços no mercado sul-americano continuarão.

"Estamos sempre de olho no futebol argentino e colombiano, principalmente. O chileno também, mas em situações bem definidas, pois pela estatura dificulta para zagueiros, mas eles tem muitos jogadores de agilidade. Na Argentina, tem jogadores bons desde o goleiro ao ponta esquerda, como na Colômbia".

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?