Vina descarta favoritismo contra Sampaio Corrêa: "não entra dentro de campo"

Meio-campista alvinegro ainda não balançou às redes em 2021

Legenda: Na última partida, diante do Salgueiro, Vina deu duas assistências
Foto: Stephan Eilert/Ceará SC

Artilheiro da Copa do Nordeste, líder em assistências do Campeonato Brasileiro e presente na Seleção do Brasileirão 2020, a temporada passada para o meio-campista Vinicius, mais conhecido como Vina, entrou para a história. No entanto, em 2021, o atleta iniciou abaixo do desempenhado anteriormente e recebeu críticas do torcedor alvinegro. Para Vina, a responsabilidade aumentou, mas o pensamento é um só: fazer um grande ano com a camisa do Ceará.

"É óbvio que a partir do momento em que você vai bem, tem números expressivos, a responsabilidade aumenta, assim como as pessoas te cobram mais. Tenho minha consciência tranquila que é um começo de trabalho, são poucos jogos, a gente vem praticamente de um calendário junto e aos poucos eu venho cada vez mais entrosando com meus novos e antigos companheiros, com esse elenco de 2021, para fazer um grande ano."
Vina
Meio-campista do Ceará

Neste domingo (18) o Ceará enfrentará o Sampaio Corrêa/MA, pelas quartas de final da Copa do Nordeste. O Vovô, único invicto da competição, é tido como o favorito para a partida. No entanto, Vina acredita que falar em favoristimo, hoje, no futebol, é difícil.

"Hoje é difícil falar em favoritismo. Falar em estrutura melhor, em um elenco mais valioso, não entra dentro de campo. A gente sabe que o campeonato está muito igual, mas também sabemos que o respeito e o favoristimo temos que colocar dentro de campo e fazer por merecer, ganhar o jogo, é para isso que vamos nos preparar para domingo sairmos classificados à semifinal."

Estreia na Sul-Americana

Após 10 anos, o Ceará retorna a uma competição internacional. Na quarta-feira (21) o Alvinegro de Porangabuçu enfrenta o Jorge Wilstermann, da Bolívia, na estreia da Copa Sul-Americana 2021. O meio-campista, que já disputou competições internacionais em sua carreira, garante que se preparar bem é fundamental para representar o Vovô na Sula.

"Hoje, com meus 30 anos, toda partida eu sinto frio na barriga. É isso que me move, eu sou um apaixonado pelo futebol. Independente da competição, eu quero estar sempre ganhando e fazendo história. Mas sabemos que existe essa ansiedade mais pela parte da torcida, por ser algo novo, estar na competição, jogar fora do país, mas em relação a nós, é nos preparar bem. É uma grande competição, para quem não jogou, quando jogar vai ver a diferença, para que possamos representar o Ceará da melhor maneira possível."

 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte