Tom Barros: Para cada situação, a resposta alvinegra

O técnico do Flamengo, Jorge Jesus, costuma blefar. E já foi muito criticado por isso. Anuncia que um jogador está fora, mas na hora do jogo esse jogador está dentro. Foi assim com Gabigol antes do jogo com o Internacional. Em Portugal, seus blefes também se tornaram famosos, mas igualmente criticados. Bom, seja como for, com blefe ou sem blefe, vem o Flamengo. Ao Ceará cabe a devida preparação para enfrentar o Flamengo. Se o Flamengo titular ou misto, aí será uma outra história. Então a preparação alvinegra não pode ficar na dependência de blefes do treinador adversário. Verdade seja dita: embora no Castelão, Flamengo está de olho mesmo é no jogo de volta contra o Internacional em Porto Alegre. Disso o Ceará poderá tirar algum proveito, se não cair na ilusão de que será fácil, ainda que Jesus utilize formação alternativa. Há dias, com o chamado time reserva, o Internacional ganhou do Ceará em Porto Alegre e ganhou do Fortaleza aqui no Castelão. Portanto, para não correr risco, é mais sensato Enderson Moreira preparar o Ceará para enfrentar o Flamengo, independente do rótulo. Se a campo Jesus mandar o time misto, problema dele.

Prudência

Santos na Vila Belmiro. O Fortaleza não pode chegar lá de peito aberto, numa aventura, buscando a vitória. Há que se manter prudente. Tipo do jogo para Derley. O Time do Santos é muito rápido. Verdade que perdeu para o Cruzeiro na rodada passada, mas cabe uma ressalva: ali ficou com um jogador a menos desde o primeiro minuto de partida.

Preocupação

Observo entre os torcedores do Fortaleza a impressão de que será muito difícil o Leão, pelas circunstâncias, escapar da derrota, posto que todas as condições são favoráveis ao Santos. Sim, realmente as condições são favoráveis ao Santos, mas isso não é tudo. O Fortaleza tem jogadores de velocidade para contra-ataques fulminantes. Cito Edinho, Romarinho e Osvaldo. Pode ser o caminho.

Meia

O cearense Felipe Jonatan, agora meio-campista do Santos, vai trafegar numa zona onde o tricolor tem dado espaço aos adversários. Cuidado com ele, que está muito bem na nova função. Felipe evoluiu muito nas mãos do técnico Sampaoli. De lateral a meia, com ótimo desempenho.

O Ferroviário fica na expectativa do que vão fazer maranhenses e pernambucanos na definição das vagas para a próxima etapa da Série C. A desconfiança de conchavos é grande. Teme a mancomunação. E há razões para isso. No futebol brasileiro já houve expedientes desonestos assim. Olho vivo, Ferrão!

Se houver conchavo entre os maranhenses do Sampaio e Imperatriz e entre os pernambucanos do Náutico e Santa, de nada adiantará vitória do Ferrão sobre o Confiança. Não sei como o time coral, que chegou a abrir sete pontos de vantagem sobre os concorrentes, desceu tanto. Agora, na última rodada, depende de terceiros.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte