Tom Barros: Começa uma nova história no Pici

Legenda: Zé Ricardo orienta jogadores em treino do Fortaleza
Foto: kid Junior

Os atores são basicamente os mesmos. O enredo também. Igualmente as propostas e os objetivos. Segue o roteiro com pequenas alterações. Outro, porém, o diretor. Agora, no lugar de Rogério Ceni, Zé Ricardo. Sim, e o Fortaleza com mais R$ 1 milhão no bolso, indenização paga pelo Cruzeiro pela ida de Ceni. Então, mãos à obra. Neste primeiro desafio, hoje, o Internacional-RS, obstáculo difícil, ainda que com a formação reserva. É que o Inter tem lastro no banco. Aliás, na derrota para o Fluminense, a imprensa registrou que o Inter estava com o time reserva. Tudo bem. Mas no transcorrer do jogo, entraram D'Alessandro e William Pottker. Além disso, o atacante Rafael Sobis entrou de início. Então, é uma espécie de reserva, mas reserva de luxo. No Fortaleza, Zé Ricardo confirmou a manutenção da base que vinha em ação na gestão de seu antecessor. Atitude acertada. O pouco contado dele com o grupo não permitiu melhores observações. Assim, não quis assumir o risco de aventureiras mudanças. Essas virão no devido tempo, após as observações decorrentes dos exercícios continuados e principalmente em função das próprias partidas.

Estreia

Expectativa grande sobre a estreia do técnico Zé Ricardo no Fortaleza. A concorrida recepção que ele teve ao chegar já mostrou apoio poucas vezes dado a um treinador que chega. Valeu como um selo recíproco. Aval espontâneo que deu respaldo ao treinador. Agora, vem a parte prática. Aí é uma outra história.

Festa

O São Paulo prepara manifestação especial para o ídolo Daniel Alves, que estreia contra o Ceará amanhã. Daniel merece. Mas há entre os torcedores do São Paulo, mesmo que de forma inconsciente, uma espécie de vitória certa e antecipada. Disso, o Ceará poderá tirar o melhor proveito. Clima de festa não raro desconcentra quem a promove. Logo...

Resultado

Pelas circunstâncias, se do Morumbi o Ceará trouxer um empate, já será de bom tamanho. Entretanto, correto será ousar mais, na medida em que for sentido o adversário. Quero crer que o Vozão poderá buscar algo maior, aproveitando a boa fase, máxime de Samuel Xavier, Luís Otávio, Fabinho, Ricardinho, Lima, Thiago Galhardo e Felippe Cardoso.

Prestem atenção na desenvoltura do atacante do Ceará, Felippe Cardoso. Se ele produzir no Morumbi o que fez diante da Chapecoense, serão bem significativas as chances de resultado positivo. Por enquanto, a vaga de ídolo deixada por Arthur continua aberta. Felippe Cardoso me parece em boas condições para ocupá-la futuramente.

A entrevista dada por Leanderson, volante do Ferroviário, mostrou o compromisso do grupo na tentativa de reverter a situação diante do Imperatriz no Estádio Frei Epifânio da Abadia. Apesar da descrença que tomou conta da maioria dos torcedores, não custa nada um derradeiro voto de confiança aos corais.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?