Tom Barros: A maior enganação do futebol

Escândalo a não marcação do pênalti a favor do Ceará no jogo em que São Paulo venceu por 1 a 0. Mais uma vez a polêmica. O goleiro Tiago Volpi fez falta feia no atacante alvinegro Felippe Cardoso. Pênalti claro. Nem seria necessário consultar o VAR. Mas o árbitro caseiro, o pernambucano Gilberto Rodrigues Castro, acovardou-se. Não marcou nada. Deixou seguir. E os integrantes do VAR, na cabine onde são pagos para tirar as dúvidas, silenciaram. Calaram-se todos numa cumplicidade desavergonhada a favor do time da casa. Cadê coragem para marcar um pênalti a favor do Ceará em pleno Morumbi, diante de mais de 40 mil torcedores? Faltou firmeza ao pernambucano. E assim o Ceará foi mais uma vez prejudicado. No jogo com o Internacional, no Beira-Rio, também foi assim. Na área do Inter, Sarrafiore com a mão tira a bola no lance em que Wescley tentava concluir. Pênalti claro. Mas o árbitro carioca Marcelo de Lima Henrique nada marcou. Também lhe faltou coragem. O VAR silenciou desavergonhadamente. Como marcar um pênalti contra o Internacional, já nos acréscimos, em pleno Beira-Rio? Falta cunhão roxo nessa gente.

Dois pontos

É bom que fique bem claro: o Ceará deixou de ganhar dois pontos (um no Beira-Rio e outro no Morumbi) por terríveis erros da arbitragem. Estaria então com 22 pontos, mesma pontuação do Athletico-PR que é o oitavo colocado. Por aí se vê o prejuízo alvinegro. Os árbitros nem sequer são advertidos. E o VAR, em momentos assim, não serve para nada.

Desafio

O Fortaleza lutará contra duas situações desfavoráveis num jogo só: recuperação da autoconfiança que ficou abalada após a derrota para o Inter e a saída do técnico Rogério Ceni. Há que se levar em conta, além disso, a força santista que lidera o Campeonato Brasileiro Série A. Sair dos fantasmas e começar a traçar um novo perfil é uma necessidade. Nesta parte, a persuasão do técnico Zé Ricardo será fundamental.

Transição

Pelo primeiro tempo do Fortaleza, quando melhor que o Inter, imaginei que o time absorvera bem a saída de Ceni. Na fase final, com a significativa queda de rendimento, passei a refletir melhor. Zé Ricardo terá de trabalhar muito mais a força mental da equipe.

Prefiro acreditar na honestidade de pernambucanos e maranhenses na definição das vagas da Série C. Sampaio (classificado) e Imperatriz definem em São Luís; Náutico (classificado) e Santa Cruz decidem em Recife. Se houver acomodação dos times do mesmo Estado, o Ferrão poderá ser eliminado, mesmo ganhando do Confiança. Olho vivo, pois.

Campeã. A Associação Cearense de Magistrados ganhou o 27° Campeonato Nacional de Futebol Society da AMB ao derrotar a Apamagis (Associação Paulista), 1 x 0, gol do juiz de Direito, Henrique Lacerda. O jogo foi no CT Vovozão. O craque da competição foi o juiz de Direito Hugo Gutparakis. Já o juiz de Direito, Juraci de Sousa, foi eleito o melhor goleiro do certame. Parabéns.

Você tem interesse em receber mais conteúdo de esporte?