Sereias da Vila inspiram e ajudam jogadoras a superar adversidades

Equipe da Sabiaguaba, em Fortaleza, criado há dois anos, é o ponto de encontro de meninas e mulheres que sonham com um futuro melhor e que depositam no futebol a esperança, a amizade e a ajuda mútua

Legenda: O time das Sereias da Vila tem ajudado as jogadoras a superar problemas com o futebol
Foto: Camila Lima

De uma inspiração surgiu uma paixão e um time de futebol feminino especial, que integra meninas, mulheres e mães. O time Sereias da Vila, do bairro Sabiaguaba, em Fortaleza, criado há dois anos, é o ponto de encontro delas para o lazer, se socializarem e, claro, fazer o que mais gostam, que é jogar futebol.

As condições podem estar longe das ideais, sem um campo com gramado, traves com rede ou chuteiras, mas elas não se importam com as adversidades, já que vivenciam dificuldades maiores nas suas vidas.

Em uma comunidade carente e de poucas oportunidades, elas reservam algumas horas para jogarem futebol, fazer amizades e sonhar com uma carreira de atleta profissional.

As jogadoras do Sereias da Vila, treinam de terça-feira à sexta-feira e jogam amistosos ou torneios amadores aos domingos. A capitã, Margarida Gonçalves, resume a importância social do time para a comunidade, tirando algumas das meninas do mundo das drogas. "A ideia é sempre estar presente na comunidade, de interagir com as meninas que querem jogar futebol, que querem um lazer. O time recebe mulheres de 16 a 33 anos, muitas delas são até mães, trabalham e aqui há muito respeito, confiança e amizade. Nosso time está crescendo e nenhuma aqui vai desistir dos seus sonhos. Tem menina que já foi usuária (de drogas), mas abriu mão do vício, de viver na rua. Conseguimos tirar muitas desses caminhos. Aqui é o melhor lugar para ficar com a mente ocupada", diz.

Patrícia, que é mãe da Maria Yasmin, de seis meses, que tem síndrome de Down, leva a filha para alguns treinos. Para ela, jogar com as "Sereias" é um dos melhores passatempos. "Eu sempre joguei futebol. Comecei jogando na rua, pois não tinham meninas para jogar comigo. Jogo desde os 10 anos, joguei muito na escola e agora estou aqui com elas. O time é praticamente uma família, é muito bom jogar com elas. Eu tenho uma filha de seis 6 meses e ela gosta muito quando vem aqui. Estamos sempre nos divertindo, nos alegrando".

Sonho com o futuro

Mesmo no campo de areia, praticamente sem grama e muito irregular, as meninas esperam chamar a atenção de algum olheiro de um clube profissional e seguir o sonho de jogadora. Elas se espelham em jogadoras como a atacante Cristiane, da Seleção Brasileira e do Sereias da Vila "original", o time feminino do Santos, um dos maiores vencedores da modalidade.

"Como jogamos em outros lugares, vai que no dia tem um olheiro e chamar alguma menina para um time profissional? A gente dá a oportunidade, estimulando e jogando sempre que podemos. É não desistir jamais. Nós nos espelhamos no Sereias da Vila, do Santos. Queremos ser como a Cristiane e as outras. Não tem nem palavra pra dizer a paixão que temos por esse time. Nos espelhamos nelas e temos que ter essa força, essa garra para as meninas. Quando estamos em campo, essas pequenas dificuldades ficam fora, esquecemos que tem buraco, capim que dói no pé, o importante é futebol", frisa Margarida.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte

Assuntos Relacionados