Robson Oliveira volta ao Brasil; motorista foi preso na Rússia após levar remédio a jogador

O remédio que o motorista levava era proibido no País

Foto do motorista Robson Oliveira
Legenda: Robson foi preso por levar medicamento considerado ilegal na Rússia a mando do então chefe
Foto: Reprodução Instagram

O ex-motorista Robson Nascimento de Oliveira — que foi preso na Rússia em 2019 por transportar um medicamento para o sogro do então chefe, o jogador de futebol Fernando Lucas (Beijing Guoan) — retornou para casa após dois anos.

Ele desembarcou, nesta quarta-feira (5), no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro. As informações são do G1.

Em entrevista ao portal, ele contou sobre os momentos de aflição.

"Não teve nada fácil. A última vez que me pesei lá eu tinha perdido 20 quilos", disse. "O fato de eu não falar a língua piorou mais ainda", relatou. 

O presidente russo, Vladimir Putin, assinou, na segunda-feira (3), o indulto de motorista, que teve o perdão da condenação. 

Robson foi recebido pela família e pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

Entenda a história

Em 2019, Robson e a esposa foram para a Rússia após serem contratados como motorista e cozinheira da família do jogador Fernando, ex-Spartak Moscou e atual Beijing Guoan, da China.

Durante a viagem, o motorista transportou, na mala, um medicamento (cloridrato de metadona) permitido no Brasil, mas que é considerado entorpecente no território russo. Por esse motivo, ele foi preso por tráfico internacional de drogas.

A versão do motorista foi confirmada pelo jogador. No entanto, o dono do remédio nunca prestou depoimento à polícia local. 

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte