Relembre todas as etapas do interesse de Ivan Savvidis pelo Fortaleza

Dono do PAOK, da Grécia, bilionário russo pesquisou sobre o futebol da América do Sul para investimentos quando descobriu a festa da torcida tricolor no Brasileirão de 2019. De lá para cá, relação só se estreita

Legenda: Ivan Savvidis é dono do PAOK, da Grécia, e tem interesse em investir no Fortaleza
Foto: Foto: AFP

O romance entre o Fortaleza e o empresário russo Ivan Savvidis pode deixar o status de "relacionamento à distância" para o, enfim, encontro físico. O Leão do Pici convidou o magnata para conhecer o clube e sua torcida no decisivo confronto pela Copa Sul-Americana, diante do Independiente, que ocorre na quinta-feira (27), às 21h30, na Arena Castelão. A melhor oportunidade possível para firmar a relação entre as duas partes.

O time treinado por Rogério Ceni tem a obrigação de reverter o placar do jogo de ida, quando os "Rojos" levaram a melhor em Avellaneda, por 1 a 0. Para o retorno na Capital cearense, quase 40 mil torcedores tricolores já confirmaram presença no estádio. A torcida, aliás, foi o que chamou atenção do empresário de 60 anos ainda em 2019.

Início da relação

A festa após a vitória contra o Bahia na rodada final do Brasileirão chegou a Ivan, dono também do PAOK, atual campeão da Grécia, e o interesse surgiu ainda em dezembro de 2019. Em meados de janeiro, o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, confirmou um 1º contato com o russo acerca do possível investimento no clube cearense.

"Sabíamos do interesse deles em investir. Desde agosto que estudam um novo negócio, e o Brasil era o campo. A festa contra o Bahia foi fundamental para a definição das prioridades de análise porque o Ivan gosta do calor da torcida, de time de massa, estádios lotados, além do resultado esportivo, que o Fortaleza teve bastante em 2019", explicou Eduardo Cornaccini, agente de atletas e amigo da família Savvidis.

O filho de Ivan, Giorgios, também sócio, admira o futebol brasileiro, e está ajudando nas conversas iniciais.

Duas propostas

Os rumos para as negociações tangem para dois destinos: a compra do Leão ou uma parceria de patrocínio. Para a 1ª opção, o clube deixaria de ser uma Associação Civil Privada para se tornar um clube-empresa, o que envolve uma nova estrutura regimental. Para tanto, é preciso que o Conselho Deliberativo do Tricolor do Pici aprove a mudança em reunião com todos os membros do órgão.

A 2ª, mais viável, mantém maior autonomia do Tricolor de Aço, visto que o projeto de investimento seria analisado pelo Conselho Deliberativo do clube antes de voltar à Diretoria Executiva e tem tendência de ser aceita.

No caso do PAOK, clube grego atualmente de propriedade de Ivan Savvidis, a primeira alternativa foi usada, com todas as dívidas do clube quitadas, três Copas da Grécia conquistadas além do troféu da Superliga nacional, que não vinha há mais de 30 anos.

Fazer bonito

O título da Série A do Campeonato Brasileiro ou da Copa do Brasil ainda são objetivos distantes do Fortaleza. Por outro lado, fazer história vencendo o Independiente é um sonho não tão distante.

E embora a presença do russo ainda não seja confirmada na Arena Castelão, a festa da torcida certamente será admirada novamente de onde quer que ele esteja. Nas mãos dos tricolores está a chance não somente do avanço à próxima fase da Copa Sul-Americana, mas também a de seu namoro com o investimento internacional.

Desde dezembro que o magnata russo, dono do PAOK, da Grécia, demonstra interesse no Fortaleza. Objetivo inicial seria comprá-lo, assim como fez com o time grego. Diretoria conversa com ele, que pode vir para jogo com o Independiente.

O filho de Ivan Savvidis, Giorgios, é um dos entusiastas da ideia, e está ajudando nas conversas com o Fortaleza

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte