Recordista olímpico, Isaquias Queiroz projeta futuro na canoagem

Vindo de conquistas mundiais nas provas C1 500m e C2 500m, canoísta brasileiro celebra mais um título de melhor atleta do ano, pelo Comitê Olímpico Brasileiro, e espera chegar forte na próxima edição das Olimpíadas

O fato de ser o único atleta brasileiro a conquistar três medalhas (duas de prata e uma de bronze) numa mesma Olimpíada (Rio 2016) não faz o canoísta Isaquias Queiroz relaxar nos treinos e se dar por satisfeito.Vindo recentemente de mais uma conquista mundial (nas provas de C1 500m e C2 500m), o baiano teve seu feito reconhecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), e pela terceira vez foi eleito o atleta do ano, ao lado da nadadora Ana Marcela Cunha, tetracampeã do Circuito Mundial no esporte.

Em conversa exclusiva com a reportagem do Diário do Nordeste, que esteve presente na cerimônia de premiação do COB, ocorrida na última terça-feira (18), no Rio de Janeiro, Isaquias lamentou a morte recente do técnico Jesús Morlán, que lutava contra um tumor no cérebro, e projetou seu futuro, deixando claro que vai em busca de mais conquistas na próxima Olimpíada, que será sediada em 2020, em Tóquio, no Japão.

"Foi muito triste para nós. Ele foi um cara excelente, um treinador maravilhoso, ele soube ensinar a gente e estamos seguindo esses ensinamentos que ele deixou para nós. O que estamos pensando é na 10ª medalha dele. Medalha olímpica, que ele tinha o sonho de ganhar. Então a gente está focado. Foco total na olimpíada de Tóquio que eu acho que vai ser o momento que a gente vai poder dar essa felicidade para ele", disse o recordista olímpico.

Importante

Isaquias sabe muito bem a importância do agora ex-técnico para o atual, Lauro Souza. Foi ao lado do espanhol que ele brilhou em 2016 e colocou três medalhas no peito. "O Jesús ensinou ele e mostrou como se chegar às medalhas, então o Lauro (novo técnico) está bastante focado nisso e sabe a obrigação que tem. Estamos cientes dessa obrigação de honrar o nome de Jesús Morlán. Vamos continuar treinando. Está tudo bem e seguimos o foco", destacou.

Sobre os próximos passos no esporte, Isaquias revelou que segue treinando em Lagoa Santa/MG, onde outros projetos também seguem em andamento. "O Lauro conversou com o Comitê sobre a criação da escolinha em Lagoa Santa. Seria bom, o Jesús sempre falava que temos um Brasil de muito sol e água, e pouco aproveitado pela canoagem", revelou.

Hall da fama

A cerimônia do COB também marcou o lançamento do Hall da Fama. Os primeiros a deixarem suas marcas eternizadas foram Torben Grael (Vela), dono de cinco medalhas olímpicas; Sandra Pires e Jackie Silva (Vôlei de praia), primeiras brasileiras a ganharem ouro nos Jogos; e Vanderlei Cordeiro (Atletismo), único brasileiro a receber a medalha Pierre de Coubertin.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte