Pede passagem quem encarou os grandes

O Atlético empatou (1 x 1) com o Ceará e ganhou (2 x 1) do Fortaleza. Com relação ao Ferroviário, o Atlético venceu o jogo no primeiro turno (3 x 2) e tomou uma goleada no returno (4 x 1). Síntese: há provado que tem sabido enfrentar os chamados times grandes da Capital. No elenco, bons jogadores como Anderson Sobral, Tairone, Valo Bacabal, Fábio Leite, Zizu e Dudu Itapajé. Mas não creio que tenha forças para chegar ao título estadual. Soube, porém, atrapalhar a vida de alguns favoritos. O próprio Fortaleza, ainda hoje, vê pesar na balança a perda de três pontos para o Atlético. Agora o Atlético só enfrentará time grande se passar para a próxima fase. Como faltam apenas dois jogos na atual fase, as suas possibilidades de classificação são boas. O técnico Luan Carlos sabe explorar as qualidades dos seus jogadores, mediante modelo tático adequado para cada partida. Na prática, desfez-se a previsão de que Ceará, Fortaleza e Ferroviário teriam postura superior. Os números mostram que o Atlético equilibrou-se diante dos grandes. Seu maior senão é oscilar demais, quebrando a possibilidade de uma previsão segura sobre seus próximos compromissos.

Surpresa

Tal como Barbalha foi a grande surpresa do Campeonato Cearense, assim está sendo o Floresta nesta segunda fase. Com nove pontos, só a dois pontos do líder, tem deixado para trás Ferroviário e Fortaleza. Resta saber se segurará tal desempenho ou se sairá de foco como lamentavelmente saiu o Barbalha.

Folha

O que mais chama atenção no Floresta é a diferença de investimento. Fortaleza e Ferroviário, apesar de terem aporte bem superior, estão com pontuação menor. Na grande maioria das vezes, o cofre define situações porque permite contratações mais significativas. Mas nem sempre é assim. O Floresta está sendo um exemplo disso. Tudo a ver com o trabalho recente do técnico Paulinho Kobayashi.

O gol

Roger marcou mais um gol pelo Ceará. A cada gol, a esperança de que ele deslanche de vez. O resgate da dívida que ele diz ter com o Ceará, pelo insucesso na passagem anterior, poderia ter ficado à margem de citações. Aí, certamente, haveria menor cobrança. Pior é que ele mesmo se cobra.

Apesar de o título de campeão da Taça Guanabara não ter mais a importância das grandes conquistas, não deixou de ser o reencontro do Vasco da Gama com um título. O jejum já incomodava. Embora de forma lenta e gradual, há avanços no time cruzmaltino. Uma subida discreta, mas que traz novas esperanças.

Comportamento inadequado de Neymar tem comprometido a sua imagem como jogador profissional. Não por acaso, José Maria Bartomeu, presidente do Barcelona, disparou: "Dembélé é melhor que Neymar". Em tempo algum, Messi e Cristiano Ronaldo saíram de uma linha de conduta bem ponderada.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte