Obras no Centro de Excelência do Fortaleza são retomadas

Pretensão da diretoria tricolor é que o complexo seja entregue, em duas partes, até o fim do ano. Em outubro, mês de aniversário do Leão, seria entregue a primeira parte, com o restante sendo terminado até o mês de dezembro

Legenda: Vestiários do Centro de Excelência ficam prontos no Pici
Foto: Lucas Catrib

"Tijolinho, por tijolinho..." Parece até letra de música, mas é assim que as obras no Centro de Excelência Alcides Santos, no Pici, sede do Fortaleza, estão sendo retomadas após paralisação durante a pandemia do novo coronavírus. Aos poucos, a equipe de operários vai dando forma ao espaço. Uma parte do "Núcleo de Futebol", uma das prioridades do pedido de Rogério Ceni quando renovou com o clube, está finalizada. Neste setor, os vestiários, a academia, rouparia, consultórios médicos e área de suplementação já estão prontos. O que ainda falta concluir é o espaço de recuperação dos atletas.

Powered by RedCircle

"Nesse espaço, o que falta finalizar é a área para a fisioterapia com piscina, banheiras de hidromassagem e tanques de crioterapia, as obras foram paralisadas por conta da pandemia e estão sendo retomadas" destacou Rodrigo Monteiro, diretor de patrimônio do Tricolor do Pici.

O gramado foi modificado para o "bermuda celebration", uma espécie de grama utilizada em grandes estádios de futebol. A área passa pelo processo de drenagem e irrigação automatizada. "Uma das exigências do técnico Rogério Ceni foi sobre a qualidade do gramado. Quando ele pode, visita o espaço e liga até para o jardineiro para buscar mais informações", relatou Rodrigo Monteiro.

Refeitório e alojamentos

Outro espaço que está com 80% das obras concluídas é o refeitório do clube. A área foi ampliada e passa pelos os últimos ajustes. O que ainda falta começar é a reformulação dos alojamentos, seguindo os protocolos de segurança. Os quartos, por exemplo, serão duplos. A previsão da diretoria é entregar uma parte do equipamento em outubro e o restante em dezembro deste ano.

"Nós estamos trabalhando para entregar o espaço neste ano. Outubro é um mês simbólico para o Fortaleza, aniversário do clube. Assim, queríamos liberar boa parte das obras para que os atletas tenham essa opção a mais de treinamentos e, no final do ano, o restante", detalhou o dirigente.

Ajuda da torcida

Com a paralisação do futebol, por conta da pandemia de Covid-19, as receitas foram comprometidas e, consequentemente, as obras do Centro de Excelência. Além das ações do clube, a reforma contava também com o valor das vendas de bebidas na Arena Castelão nos jogos do Leão. Com a parada, o clube deixou de contar com essa acréscimo financeiro.

A diretoria intensificou as ações de marketing durante esse período, além do comprometimento do sócio-torcedor. "O torcedor tem sido fundamental neste recomeço das obras, contribuindo com as ações apresentadas nas lives, além de manter em dia as mensalidades. A gente espera agora uma boa adesão do mosaico 3D no estádio no dia dos jogos do Fortaleza", finalizou.

Valor da obra

O valor para a reforma do equipamento está orçado entre R$ 5 milhões e R$ 6 milhões. Rogério Ceni, neste processo de reformulação, chegou a doar R$ 100 mil para a continuação das obras.