O perigoso complexo de não ganhar fora de casa

Uma inibição fora do comum que já virou complexo

Legenda: Contra o Atlético-MG, fora de casa, Ceará perdeu por 3 a 1 no último sábado (9)
Foto: Divulgação/Atlético-MG

Que assombro tem o Ceará quando joga fora de casa? Não sei. Em onze jogos, nenhuma vitória. Todos sabem que, para se manter na Série A, é necessário saber vencer alguns jogos nos campos dos adversários. O Ceará não tem conseguido isso. É difícil entender que tipo de acanhamento é esse. Uma inibição fora do comum que já virou complexo. Lembro do jogo em Cuiabá. A vitória, de virada, parecia garantida, pronta para ser embalada e mandada via Sedex para Porangabuçu. Em plena Arena Pantanal, três pontos que seriam somados à contagem do Vozão. Ledo engano. Aos 48 minutos do segundo tempo, o último dos acréscimos, Jenison decretou o empate. Frustração. E assim até hoje. Ganhar fora de casa passou a ser um obstáculo intransponível até aqui. Hoje, o Vozão enfrenta o São Paulo no Morumbi. A propósito, o São Paulo, que já esteve na zona de rebaixamento, é agora adversário direto do Vozão. Os dois são vizinhos de sonhos e esperanças, mas também de medos e apreensões. O São Paulo é o 13º (30 pontos). O Ceará é o 14º (29 pontos). O momento atual mostra um São Paulo em processo de recuperação. O Ceará, ao contrário, vem perdendo posições, sendo alvo de muitos comentários desfavoráveis.

Treinador 

Até agora, o técnico Tiago Nunes não ganhou a confiança da torcida. Expulso no jogo passado, hoje ele não comandará o Ceará à beira do gramado. Tiago dirigiu o Ceará em cinco jogos. Perdeu para o Grêmio em Porto Alegre (2 x 0). No Castelão empatou com o Santos (0 x 0), ganhou da Chapecoense (1 x 0) e empatou com o Inter (0 x 0). No Mineirão, perdeu para o Atlético (3 x 1). Está devendo.  

Necessidade 

O Ceará precisa vencer. Só assim quebrará o complexo de não ter forças para ganhar fora de casa. Além disso, caso vença, ampliará a margem que o separa da zona de rebaixamento. O time também recuperará a confiança e a autoestima que teve quando estava no melhor de sua campanha, em sétimo lugar. 

Seis pontos 

É verdade que o Ceará tem a seu favor dois jogos atrasados, ou seja, terá a oportunidade de somar mais seis pontos, situação que os seus concorrentes diretos não têm. Problema é que, se continuar tropeçando até à data desses jogos, entrará em campo sob a forte pressão da obrigatoriedade de ganhar. Isso complicará ainda mais, como ressaltou o presidente Robinson de Castro. 

Complicação 

Pelo visto, só em permanecer na Série A já será um grande negócio. Na Série B, o Vasco (8º, 43 pontos), está a cinco pontos do G-4. Para voltar à elite, terá de tirar essa diferença em nove jogos. Pior a situação do Cruzeiro (11°, 39 pontos). O Vitória (18º, 29 pontos) pode cair para a Série C. Feia a coisa. Dos grandes, só Botafogo, vice-líder, tem grande chance de voltar para a Série A. 


Quero receber conteúdos exclusivos de esporte